Literatura Fantástica Brasileira

Literatura Fantástica Brasileira

Biblioteca do Terror, por trás da máscara.

Biblioteca do Terror


Por Irmandade da Literatura.

Embora raras, ainda há páginas que auxiliam autores nacionais com a divulgação dos seus trabalhos, e uma delas é a Biblioteca do Terror, cujo vasto material atrai a atenção dos leitores fãs do gênero terror.

Seu amplo conteúdo mostra que o gênero não é composto somente por figurinhas carimbadas como Stephen King e Anne Rice, a nível mundial, ou Raphael Draccon e André Vianco, quando se fala de literatura nacional, o que por si só já faz dela uma excelente ferramenta de pesquisa tanto para leitores quanto para meros curiosos pelo gênero.

Porém, há algum tempo, chegou ao nosso conhecimento um fato que nos fez torcer o nariz para o responsável pela página, o tal de Rafa Filth Michalski (perfil do Facebook).

Como na época não trabalhávamos com o LitFanBR acabamos deixando a "denúncia" engavetada até que algum dia pudéssemos fazer uso dela.

Que fique claro que não estamos depreciando a página mantida pelo Rafa Filth, muito pelo contrário, estamos apenas dispostos a colocar os devidos "pontos nos ís" para que leitores e aspirantes a escritor saibam como a banda toca e, talvez, para que o colega mantenedor do referido site possa amadurecer um pouco.

Rafa geralmente se prontifica a resenhar obras de autores nacionais e, para isso, recebe exemplares desses trabalhos para que assim possa executar seu trabalho e, melhor, sem cobrar para fazer isso como outras páginas por aí fazem.

Mas normal, essa é uma prática comum no mundo literário, não há problema algum nisso, até mesmo porque envia seu trabalho quem quer, ninguém é obrigado.

Porém, soubemos de dois casos em que foram publicadas resenhas extremamente mal escritas, com erros de concordância e, pasmem, até mesmo ortográficos.

Tudo bem, ninguém é perfeito e todos estamos sujeitos a cometermos erros, nós mesmos devemos cometer barbaridades em nosso textos, mas o problema não está em errar, mas sim, em como uma pessoa reage quando esse erro é apontado.

E foi o que aconteceu: os autores envolvidos, ao lerem as resenhas porcas de seus livros, foram até esse tal Rafa e apontaram esses erros, segundo eles, de forma profissional, sem esculhambação, de forma privativa, sem tornarem os casos públicos.

Um deles até corrigiu o texto bizarro e o encaminhou ao autor da resenha, auxiliando-o assim com a revisão, bastava substituir o texto incorreto pelo que ele enviara.

Qualquer profissional sério do meio sentir-se-ia agradecido, afinal quem gosta de ter um trabalho mal feito publicado? Só o Zé das Couves capeiro de livro de quinta que se acha escritor, esse sim está cagando e andando pra qualidade do que publica, o importante é ostentar a alcunha de escritor para comer pirigóticas.

Enfim, mas não, o colega Rafa Filth Bichalski recebeu as críticas, aceitou o texto corrigido, mas nunca o publicou em seu site, e pior, ainda excluiu a resenha "defeituosa".

Ele apenas nunca mais pediu trabalhos desses autores para resenhar.

Esse é o nível de quem tenta trabalhar com o meio literário, uma pessoa que se acha acima do bem e do mal, não aceita correção a um trabalho mal executado e que fica emburradinho quando seus erros são apontados.

Ninguém o execrou em praça pública, ao contrário, até o auxiliaram a manter o conteúdo de sua página com uma qualidade elevada, mas o menino mimado não deve ter visto dessa forma.

Por que um autor deve primar pela qualidade do que escreve para não ser escrachado enquanto alguém que (ao menos em teoria) se dedica a fazer leituras críticas de trabalhos desses mesmos autores não pode ter seus erros apontados?

É infantil, é tosco, e beira a imbecilidade.

Não lemos textos desse site, até mesmo porque seguimos outra linha, mas se a mente de Rafa trabalha dessa forma é provável que, ao ler as matérias publicadas no Biblioteca do Terror, você se depare com algum erro grosseiro, uma vez que ele não aceita correções e críticas aos seus trabalhos.

Quem perde com isso são os autores nacionais que, por não terem seus trabalhos divulgados pelo Rafa Filth, deixam de ter seus trabalhos indicados ao prêmio Nobel.

E assim caminha o meio literário.

Entre em contato: litfanbr@gmail.com


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pode chorar...