Literatura Fantástica Brasileira

Literatura Fantástica Brasileira

Recado aos haters, trolls e afins.

hater


Por Equipe Literatura Fantástica Brasileira.

Quando decidimos retomar as atividades do blog não imaginávamos o teor dos e-mails e dos comentários que as matérias publicadas receberiam.

É impressionante a total incapacidade argumentativa das pessoas, e elas não sentem nenhum pudor em deixar claro o quão ignóbeis elas são, principalmente quando se tratam de comentários anônimos, onde a escória se sente à vontade para despejar toda sua diarreia mental.

Pior, essas criaturas dizem-se leitoras, mesmo apresentando uma articulação medíocre e uma mentalidade obtusa o que nos faz duvidar muito que realmente saibam o que é um livro, ou sejam simplesmente devoradoras de Kéfera´s da vida e se considerem leitoras.

Nosso objetivo ao retomarmos as atividades da página foi o de continuar auxiliando aqueles que estão se aventurando dentro do meio literário, vislumbrando um mundo fantasioso, repleto de pessoas intelectualizadas e simpáticas, mundo esse que infelizmente está muito distante da realidade.

Não estamos publicando matérias para contradizer os "macacos velhos" que, prostrados em suas confortáveis poltronas, ficam enchendo o saco por aqui, debatendo, defendendo seus pontos de vista, ou simplesmente querendo causar enquanto engordam com o torresmo e sorvem as bebidas adquiridas com os lucros dos livros porcos que vendem.

Livros porcos, sim, porque é isso que as editoras estão publicando ultimamente e já ficou suficientemente claro através dos comentários que recebemos que para essa gente que se manifesta o que importa é vender, encher o fiofó de dinheiro, não se importando com a qualidade do que escrevem.

Nenhuma dessas pessoas e editoras prezam em levar cultura aos leitores, o que elas almejam são os lucros, como qualquer outra empresa, não importa se aquilo que é vendido não passe de porcaria.

O que é porcaria?

Isso já ficou suficientemente claro nas últimas matérias, pelo menos na nossa concepção, não nos tornaremos repetitivos, se você discorda dela é um direito seu, vivemos (ainda) em uma democracia então crie um blog, consiga credibilidade e lá exponha seu ponto de vista.

Quem se importar com o que vocês tem a dizer irá lá se manifestar.

É simples.

Vemos pelo teor dos comentários feitos aqui (e olha que vetamos a publicação de muitos deles) que seus autores não se atentam às ideias que as matérias expressam, estão mais preocupados em saber quem são os autores do que é publicado, se são velhos ou novos, gordos ou magros, héteros, homos ou bi, de direita ou de esquerda, como se isso fizesse alguma diferença.

No passado esse tipo de perseguição aconteceu muito, quando alguns dos criadores do blog cometeram o erro de assinarem suas matérias. 

Eles foram execrados por aqueles que achavam o cúmulo alguém se sujeitar a entregar de bandeja a cabeça de quem fazia merda dentro do meio literário, mas ainda assim seguiram até onde deu, ou até onde acharam deverem ir.

Mas, ao contrário deles, não cometemos esse erro porque aqui não falamos de pessoas, não citamos nomes, expressamos opiniões acerca de ideias, de fatos.

Óbvio que nossas opiniões não agradam todo mundo, quem consegue tal feito?

A carapuça obviamente acaba sendo vestida, um bom sinal porque isso indica que não inventamos nada, o que publicamos corresponde à realidade.

No início não entendiamos os motivos que fizeram com que o blog fosse deixado de lado, até tirado do ar, mas aos poucos vamos percebendo as agruras pelas quais os antigos administradores passavam.

Textões em redes sociais, vídeos em youtube, ameaça de processos e todo o blá blá blá de quem se sente atingido por nossas opiniões.

Nos importamos com isso?

Isso não fará com que desistamos do blog, muito pelo contrário, a quantidade de interações (ainda que muitas sejam um pé no saco) e de visitantes que recebemos fazem com que percebamos a relevância que nossas matérias possuem e a importância que o blog possui dentro do meio, queiram ou não.

Não, esse não é um blog qualquer, por mais que alguns infelizes tentem negar a importância dele, e isso já ficou mais que provado.

Expressamos nossas ideias, NOSSAS ideias, e não nos preocupamos se elas agradam ou não.

Aqui publicamos a verdade, doa a quem doer e essa premissa já deixamos bem clara quando anunciamos o retorno do blog.

Não a sua verdade, mas a NOSSA, porque a página está sob nossa responsabilidade e publicamos aqui o que nos der na telha, desde que não fuja à realidade.

Isso soa arrogante, te desagrada?

Ninguém está te obrigando a vir aqui.

Haters, trolls e toda espécie de gente mal comida e babaca, não há mais espaço aqui pra vocês.

A cachorrada late, mas a caravana segue a viagem.

Entre em contato: litfanbr@gmail.com





8 comentários:

  1. Continuem esperneando nos comentários.
    O recado já foi dado.
    E sem essa de democracia.
    Aqui é ditadura.
    Não gosta?
    Pede extradição pra Angola.

    ResponderExcluir
  2. A premissa do blog, e me desculpem se estiver enganada, lutar por uma literatura de qualidade.

    O problema maior é: como explodir no intimo de autores amor ou interesse pela literatura depois de noticias como a de hoje? "Temer retoma o Ministerio da Cultura".
    Governo só investe em funk, axé, teatros de (perdão pela palavra) lambe-cu.
    Fico imaginando atores de verdade, pelos teatros do Brasil, pagando caro pela sua arte, enquanto atores medíocres conseguem milhões em incentivo.
    Não há amor que resista.
    Eu desisti depois de Claudia Leite receber não sei quantos mil para escrever um livro. Ali eu vi o fundo do poço.
    Sou leitora assídua do blog há anos, gosto muito das matérias e algumas até me servem o chapéu. Eu acho q ele é muito importante no quesito nos tirar da area do conforto...

    ResponderExcluir
  3. A importância maior deste blog é ser um espaço aberto para recebimento e publicações de denúncias relacionadas a falcatruas no meio literário. No momento que pessoas ligadas ao meio temem que seus nomes sejam negativamente citados aqui, com as devidas provas, irão pensar duas vezes antes de tentar passar os outros para trás.

    Durante muitos anos, autores engoliram sapo por medo de se queimar no meio literário, mesmo que tenhamos de usar o ápice de nossa criatividade para tentar descobrir o que um autor nacional tem a perder aqui no Brasil.

    E por isso eu achei muito estranho o fato de o blog ter fechado durante tanto tempo, afinal, este presta um grande serviço simplesmente por existir.
    E se a quantidade de denúncias diminuiu, é porque o pessoal ficou esperto e os canalhas do meio literário tiveram de repensar suas atitudes.

    Qualquer autor ciente da realidade dos fatos (que sabe que não tem nada a perder, e dificilmente terá), pode simplesmente dizer que irá denunciar os problemas que tem passado em certo "blog troll". Isso já basta para deixar muita gente de cabelos em pé.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente Rômulo, mas os cegos preferem acreditar que o blog não possui relevância dentro do meio, mas graças à ele muitos autores novatos deixaram de cair nas garras de editores pilantras.
      Relatos referentes a isso podem facilmente serem lidos nos comentários das matérias.
      O pior cego é aquele que não quer ver, e pior ainda, aquele que quer tapar os olhos dos outros.

      Excluir
  4. Mas gente, vocês fazem uma sequência de posts que são verdadeiras tijoladas na orelha, um seguido do outro, e queriam o que?

    Vocês tocaram com força total em várias feridas da atual literatura nacional: escrevinhadores medíocres (que em um país com um nível cultural melhor, nem seriam considerados escritores); escritores que escrevem o que está na moda, copiando o autor bombado do momento, ao invés de criar algo que tenha uma cara própria; escritores que se valem de meios duvidosos para se promover, ao invés de alcançar um nome pelo talento...

    Volta e meia eu comento aqui, como leitora. E é desse ponto de vista que eu fico triste em ver que, ao invés de procurarem refletir sobre o que tem sido dito nas últimas postagens e - se for o caso - absorver o que há de positivo e procurar melhorar, muitos escritores preferem se encastelar no seu forte de mediocridade e certezas absolutas e partir para a agressão pura e simples.

    "Ah, mas a gente escreve o que o leitor quer ler!". Que seja, isso não é um crime - afinal, penso que o sonho de todo escritor seja ser conhecido por seu trabalho e, se for possível, fazer sucesso a ponto de viver apenas dele, sem ter a necessidade de ter um emprego principal e a escrita ser deixada para os momentos livres. E não há problema em partir para um mercado mais pop - afinal, tem muito livro que se pretende "sério", "intelectualizado" que não passa de uma coleção de pedantismos ou hermetismos.

    Mas usar isso como desculpa para produzir literatura porca - tanto na temática, quanto na execução, é inaceitável. E acho que foi esse tipo de "autor" que se estressou tanto com as postagens que vêm sendo feitas. Aquele que, apesar de toda a maquiagem, no fundo no fundo sabe que, por debaixo de tudo aquilo o que há é algo oco. E é f*da ser confrontado com essa ideia, né?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O combustível que faz com que prossigamos com o blog são comentário repletos de sanidade como os seus.
      Comentários que possuem o único intuito de denegrir o blog ou esculhambar com quem tem coragem de escrever as matérias não serão publicados.

      Excluir
  5. Fui visitar esse tal blog, vi a indicação em um grupo do Facebook.
    O pessoal parece ter uma proposta interessante, mas publicam coisas falaciosas e que não acrescentam nada.
    Pior: os comentários das "matérias" parecem conversa de boteco.

    ResponderExcluir
  6. Olá, pessoal. Tudo bem? Espero que sim.

    O problema não são vocês. O duro é que a falta de discernimento da população não permite que eles tenham outro argumento senão "é bom porque eu gostei!" ou "é ruim porque eu não gostei".

    Claro que muitos reclamam da "falta de democracia" do blog ao barrar comentários (vejam este artigo, se não viram: http://barracoliterariobr.blogspot.com/2016/05/resposta-ao-litfan-recado-aos-haters.html). Mas aí entra o X da questão: existe alguma lei que obrigue blogueiros a aceitar e responder a todos os comentários? A partir do momento que o dono do blog diz que não aceita comentários de xingamentos ou rasos, a mensagem não é clara? Discordar sem provas é algo que precisa ter atenção?

    Vejam o meu caso: organizei uma antologia de contos que foi publicada este ano. Um autor quis entregar o conto fora do prazo e eu recusei. Ele não tinha outro argumento senão me chamar de frio, calculista e que eu não estava agindo de forma justa com um amigo que passava por uma fase difícil (como se todos não tivessem vidas complicadas...). Eu poderia dar atenção a ele, mas de que ia adiantar se ele não sabia dizer outra coisa?

    Enfim, é preciso ter peito para divulgar os podres do mercado visto que tudo hoje em dia é passível de processo (eu mesmo adoraria divulgar uma ou duas coisas que sei). E espero que continuem com o blog acessível ao público.

    Obrigado a todos(as).

    ResponderExcluir

Pode chorar...