Literatura Fantástica Brasileira

Literatura Fantástica Brasileira

Professores de quê?

Loucuras Literárias


Por Equipe Literatura Fantástica Brasileira.

O senso do ridículo, se fosse vendido em farmácias, fariam um bem imenso à humanidade.

Lembram-se daquela escritorazinha que posa de lingerie para promover seus livros?

Sim, aquela cujas puxa-sacos chamando de "diva".

Porra, diva é a Angelina Jolie, a Megan Fox, a Eva Mendes e por aí vai, uma criatura com quase quarenta arrobas não é diva nem aqui e, espero eu, nem no inferno.

Você se excita com gordinhas? Eu não, obrigado.

Já que você gosta, então visite essa galeria de gordinhas sexy e se acabe.

Mas, sexualidade à parte, vamos ao que interessa.

Lembrou da escritora "fofinha"?

Agora ela decidiu ensinar o povo a escrever e lançou um livro com dicas para novos autores e até (vejam a pretensão da criatura) para escritores já experientes.

Do alto da experiência dela cá fico eu imaginando que tipo de dicas ela tem a oferecer a quem quer que seja.

Dicas de como vestir lingeries e posar para fotos como se fosse uma libertina com a intenção de vender livros?

Fico imaginando que seja, porque é só isso que ela faz, ou a porca qualidade dos livros dela a gabarita para dar dicas para alguém.

Acho que não.

O que fode é que tem muita gente que vai no vácuo e fica enaltecendo uma porcaria dessas.

Lembra daquela história de ficar no vácuo de quem está em evidência para conseguir um lugarzinho? Pois é, bem isso o que rola.

Mas sabe o que é mais curioso?

A ninfeta obesa fez isso poucos meses depois de um outro autor lançar um livro na mesma linha de pensamento: ajudar novos autores.

Coincidência? Falta de personalidade? Despeito?

Difícil saber a resposta.

Mas por que essa gente cismou agora de lançar livros querendo ensinar o povo a escrever?

Já tem muita gente escrevendo, ninguém precisa ficar ensinando, o que falta é quem tenha peito para publicar obras decentes.

Ainda se o livro realmente acrescentasse alguma coisa poderia se dar algum valor a ele, mas logo de cara, pela "degustação" do livro na Amazon. já se percebe o nível da autora, que sequer sabe fazer o uso correto de conceitos básicos da língua portuguesa, como a da utilização de porque, por que e porquê. É lamentável!

Receber dicas de como escrever de alguém assim é como ter aulas de gastronomia ministradas por um chimpanzé.

Para você, que pretende seguir à risca os valiosos ensinamentos desse verdadeiro grimório de sabedoria eu dou meus parabéns, você, além de ser um perfeito otário ainda está assinando seu atestado de incompetência.

Mas, para não ficarem de mimimi que nós só criticamos, aí vai uma colher de chá.


O uso dos porquês é um assunto muito discutido e traz muitas dúvidas. Com a análise a seguir, pretendemos esclarecer o emprego dos porquês para que não haja mais imprecisão a respeito desse assunto.
Por que
O por que tem dois empregos diferenciados:
Quando for a junção da preposição por + pronome interrogativo ou indefinido que, possuirá o significado de “por qual razão” ou “por qual motivo”:
Exemplos: Por que você não vai ao cinema? (por qual razão)
Não sei por que não quero ir. (por qual motivo)
Quando for a junção da preposição por + pronome relativo que, possuirá o significado de “pelo qual” e poderá ter as flexões: pela qual, pelos quais, pelas quais.
Exemplo: Os lugares por que passamos eram encantadores. (pelos quais)
Por quê
Quando vier antes de um ponto, seja final, interrogativo, exclamação, o por quê deverá vir acentuado e continuará com o significado de “por qual motivo”, “por qual razão”.
Exemplos: Vocês não comeram tudo? Por quê?
Andar cinco quilômetros, por quê? Vamos de carro.
Porque
É conjunção causal ou explicativa, com valor aproximado de “pois”, “uma vez que”, “para que”.
Exemplos: Não fui ao cinema porque tenho que estudar para a prova. (pois)
Não vá fazer intrigas porque prejudicará você mesmo. (uma vez que)
Porquê
É substantivo e tem significado de “o motivo”, “a razão”. Vem acompanhado de artigo, pronome, adjetivo ou numeral.
Exemplos: O porquê de não estar conversando é porque quero estar concentrada. (motivo)
Diga-me um porquê para não fazer o que devo. (uma razão)

Por Sabrina Vilarinho
Graduada em Letras
Aprendeu aí, "fofinha"?
Entre em contato: litfanbr@gmail.com

3 comentários:

  1. A língua portuguesa tem tantas variações e tantas regras que, se não for uma pessoa que faça seu uso com frequência, sempre existirá dúvida ao tentar empregar a forma correta - não só nos "porquês", mas em inúmeras outras questões.

    Quando comecei a escrever, sequer sabia a diferença de está/esta - trás/traz - viagem/viajem e nesse processo de pesquisa, aprendi muito e continuo aprendendo. Ainda tenho dificuldade na questão dos "porquês", mas com a prática logo devo sanar esse problema!

    Em resumo: a pessoa que se dispõe a ensinar, no mínimo, deve ser competente naquilo que propõe. Se for pra ensinar errado é melhor não ensinar! Ao invés de ajudar, vai fod** com a vida dos autores que seguem na busca pelo aprendizado, na busca pela qualidade da escrita.

    ResponderExcluir
  2. Bom, não sei se se é o caso da tal criatura (até mesmo porque [será que usei o "porque" certo, meu pai?], nem sei quem de quem vocês estão falando).

    Mas parece-me - e falando exclusivamente como leitora que sou, um ser humano incapaz de escrever uma mísera linha literária - que isso é resultado desse fenômeno moderno do "qualquer fulano se acha escritor", combinado com o outro fenômeno do "leitor mais ou menos que acha qualquer tranqueira literária 'perfeito, incrível, maravilhoso'" - turbinados por editoras oportunistas que, na sanha de ganhar dinheiro, publicam qualquer coisa.
    Esses três elementos, misturados no atual caldeirão literário macabro do 'bora publicar o que tá na moda, que é o que vende' só podia dar nisso: o tonto dando dicas para o tolo (e, se bobear, vira best seller).

    ResponderExcluir
  3. A analfabeta funcional que se atreveu a lançar um livro em que sequer sabe fazer uso dos "porquês" é nada menos que a musa sexy hot Janaína Rico.
    É de cair o cu da bunda, que bagagem uma infeliz dessas possui para dar dicas a novos autores?
    Ficar tirando fotinho semi-nua pra promover livros toscos? É esse o tipo de dica que ela tem pra dar?

    ResponderExcluir

Pode chorar...