Literatura Fantástica Brasileira

Literatura Fantástica Brasileira

E choram os vitimistas...

Vitimismo na literatura

Por Equipe Literatura Fantástica Brasileira.

Para um blog sem credibilidade e lido por meia dúzia de gatos pingados até que o Literatura Fantástica Brasileira consegue ter uma repercussão razoável dentro do meio literário...

Nossa matéria Quais suas pretensões literárias? ainda está dando frutos, mesmo após muitos dias de sua publicação.

Os antigos administradores do blog diriam que algumas atitudes são vergonhosas, já nós achamos que são enojantes.

Quem costuma levar patada do blog (ainda que não tenha o nome divulgado) não se envergonha em vestir a carapuça e ficar se lamentando pelas redes sociais, na vã tentativa de justificar suas práticas bizarras.

Muitos que antes foram denunciados alegaram estarem sendo perseguidos devido à etnia ou opção sexual, já a mais nova coitadinha diz estar sendo vítima de "gordofobia".

Ainda que de forma sutil chega-se a dar a entender que as denúncias sejam baseadas em seu posicionamento político...

Essa gente deve estar fazendo confusão porque os que tem a mania de querer calar os que se pronunciam sobre assuntos polêmicos não somos nós.

Pois é, o vitimismo, o coitadismo, nunca deixará de ser a arma dos incompetentes.

Eles nunca aceitarão o fato de estarem sendo criticados por suas práticas nada louváveis, pela sua cretinice, pela falta de competência ou pelo mau-caratismo, eles sempre alegarão que as críticas se baseiam na cor da sua pele, no uso que fazem de sua genitália ou na quantidade de dígitos que a balança apresenta quando nela sobem.

Vitimismo na literatura

Não estamos preocupados com nada disso, o que nos preocupa é a situação deplorável em que se encontra o meio literário, nas práticas desonestas executadas, nas obras medíocres enaltecidas e em tudo que só colabora para a dilapidação de um meio já tão pouco valorizado em nosso país.

Seus fãs, amigos e puxa-sacos podem acreditar em suas pseudo-lágrimas, no seu coitadismo, mas nós, assim como todos os bem esclarecidos, não engolimos mais atitudes como essa e continuaremos execrando toda e qualquer atitude medíocre que encontrarmos dentro do meio literário, seja ela da parte de uma gostosa panicat ou de uma mulher que está acima do peso.

Ao invés de ficarem se lamentando, justificando o injustificável, procurem estudar mais, repensem suas atitudes, dediquem-se mais aos serviços que executam e tentem contribuir para levar bons trabalhos aos leitores.

Nós do blog, os leitores e a literatura em geral agradecemos.

Entre em contato: litfanbr@gmail.com

Vitimismo na literatura

7 comentários:

  1. O texto seria impecável, não fosse duas coisas incomodas nele! Decerto, “opção sexual” colocada no mesmo texto que retrata “vitimismo e coitadismo” como pauta central me soa medieval, conservador! Isso me parece uma característica, um posicionamento pessoal do autor da publicação ou talvez eu esteja enganado e tenha sido um mero erro ao se expressar. É apenas um detalhe, óbvio. Mas, o que seria da vida sem os detalhes?

    Apenas vou frisar que não existe opção sexual, existe orientação sexual/condição sexual. Ninguém nasce e opta por ser heterossexual ou homossexual. No mais, odeio vitimistas que justificam sua desgraça com as questões supracitadas.

    [Esse é o texto correto].

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu, autor do texto, sou nascido na década de sessenta, quando não havia esse nhenhenhem de orientação sexual, era opção sexual, e pra mim isso não mudou.
      O detalhe da opção sexual foi apenas para ilustrar o caso, o importante é a ideia que o texto transmite, aquela em que ninguém aceita seus defeitos, quer sejam eles no âmbito profissional ou algum outro, alegando que possíveis críticas se devem ao fato de gostar de sentar ou enfiar, de ser preto ou branco, esquerdista ou coxinha...

      Excluir
    2. Pois é, eu tava comentando ontem com um amigo. Quando eu comecei (sou autora lgbt) era Opção sexual. Dai disseram que não podia porque ninguém opta por isso. Então era orientação. Dai tambem proibiram porque ninguém é orientado a ser gay. Dai foi pra condição. Mas, me falaram que ninguém é condicionado a ser gay. Perdi a cabeça e hoje não sei nem mais como chamar nos meus livros kkkkk

      Excluir
    3. Então você tem em torno de cinquenta anos de idade, algo para mais, talvez para menos. Diante disso, concluo que seu pensamento referente ao tema é tolerável. De resto, como falei, concordo com o que foi dito.

      Bom dia.

      Excluir
    4. Autor do texto, nascido na década de sessenta, a língua evolui, inclusive, para ser menos ofensiva. Sua justificativa não justifica. Errou, está errado. Basta admitir o erro e deixar de lado o vitimismo. Ressalto que, de fato, enoja usar a própria condição para mascarar ou defender os próprios erros.

      Excluir
  2. Janaina Rico escrota fez até videozinho por causa das postagens de vocês, kkkkkkkkkk.

    https://www.youtube.com/watch?v=pqdpGR9Ytzc

    ResponderExcluir

Pode chorar...