Literatura Fantástica Brasileira

Literatura Fantástica Brasileira

Virtual Books produzindo porcaria.


Por Astrid Underground.


Com a popularização da internet a quantidade de gente que acha apta a escrever um livro aumentou de forma absurda, assim como "empresários" interessados em lucrar às custas deles.

Muitos talentos se revelaram graças às redes sociais, blog´s e etc, assim como surgiu muito lobo em pele de cordeiro, tanto em relação à escritores deploráveis que se consideram Machados de Assis quanto editoras que prometem mundos e fundos e entregam trabalhos deploráveis.

A mais recente denúncia de que tomamos conhecimento foi em relação à Virtual Books, mais uma página que se dispõe a publicar trabalhos de autores que não encontram vez nas editoras tradicionais pela falta de Q.I. (quem indica).

Assim como Bookes, Clube de Autores e outras semelhantes a Virtual Books oferece um serviço de auto-publicação aos autores interessados em dar vida às suas obras literárias, mas o que o autor incauto encontra é dor de cabeça, humilhação e desperdício de dinheiro.

Não ficarei aqui relatando o caso, basta que acesse uma denúncia feita contra a tal editora publicada no famoso site Reclame Aqui e fique a par do que pode, ainda, acontecer com quem procura essas empresas de fundo de quintal que se interessam exclusivamente no dinheiro dos autores e não em entregar um trabalho decente diante do valor que cobram.

Acesse o link e veja como um autor é tratado pela Virtual Books.

Mais uma pseudo-editora que deve ser banida do meio literário, para isso, basta que os autores deixem de requisitar seus serviços.

Entre em contato: litfanbr@gmail.com


4 comentários:

  1. Eu vi a denuncia, até mesma foi eu que a vi no reclame aqui, mas a menina quis cobrar os serviços que gastou com capista, etc.. isso, q eu saiba, é problema dela. O que a tal editora tem que arcar é com os custos da produção, apenas isso.
    Ou entendi errado?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desconhecemos a forma de trabalho dessa editora, mas se consta em contrato que ela deve arcar com todos os custos da obra, a autora tem o direito de se queixar. Mas teríamos que ler o contrato firmado entre as partes. O que ela denúncia, pelo que entendemos, é que a qualidade física dos livros produzidos pela editora é ruim, e não existe nenhuma cláusula contratual (a menos que o contrato seja extremamente esdrúxulo) que justifique isso.

      Excluir
    2. De fato, estão certos. Precisariamos ver as clausulas. Apenas, ficou estranho isso, de ela cobrar tudo, até o marketing que fez..

      Excluir
    3. Eu também acho que ela está "viajando", nunca vi a editora ter que ressarcir os gastos "extras" da autora...

      Ghost Writer

      Excluir

Pode chorar...