Literatura Fantástica Brasileira

Literatura Fantástica Brasileira

Aspectos literários.



Por Chutenacara.com.br.



AVISO: O TEXTO A SEGUIR POSSUI GRANDE QUANTIDADE DE CARAPUÇAS, FIQUE A VONTADE PARA VESTÍ-LAS.

É grande a quantidade de e-mails que recebemos onde leitores nos enviam denúncias, pedem conselhos e dicas e até nos pedem auxílio na divulgação de suas obras.

Evidente que não fazemos divulgação de livros, até mesmo porque esse não é o propósito da página, mas ajudamos naquilo que está ao nosso alcance e costumamos pesquisar sobre as denúncias que nos fazem antes de as publicarmos.

Como temos algumas dessas denúncias aqui “paradas” resolvi criar essa postagem fazendo tipo um “resumão” de várias que nos chegaram.

Gostaria, inclusive, de deixar um recado para um leitor que entrou em contato conosco dizendo que tinha informações bastante interessantes sobre o caso do Tiago Toy e a Editora Draco, mas cujo endereço de e-mail parece estar com problema, de forma que não conseguimos dar-lhe um retorno. Estamos no aguardo, ok?

Mas, vamos lá.

1 – Editoras picaretas e Amazon.

Recentemente soubemos que existe um editor (já figurinha carimbada aqui no blog) que também publica os livros de sua “editora” através do já famoso site Amazon. Tudo bem, a página cada dia mais vem se mostrando uma ótima forma de comercializar e-books e nada mais compreensível do que os editores também fazerem uso da mesma. O problema é que os relatórios de vendas que ele vem apresentando aos “seus” escritores não “correspondem com a realidade”. Explico: um escritor normalmente costuma manter algum tipo de contato com seus leitores, de forma que tem alguma ideia da quantidade de livros que comercializa, entretanto, os relatórios que o cidadão envia para alguns de “seus” escritores mostram que a venda de suas obras é nula, ou seja, não há vendas. Como a obra não é vendida se os leitores entram em contato com o escritor? Ou o Amazon está tendo problemas na geração desses relatórios ou o tal “editor” adultera os relatórios antes de enviá-los aos “seus” escritores (coisa nada difícil de fazer uma vez que ele é gerado em .xml). Por hora não mencionarei o nome do dito cujo até mesmo porque é feio chutar cachorro morto, mas sugiro que trate “seus” escritores com mais respeito, sem menosprezar a inteligência deles, ou seremos obrigados a pichá-lo aqui no blog, mais uma vez, ok?

2 – Transgênicos literários.

Se você achava que os livros da saga Crepúsculo e de Cinquenta Tons de Alguma coisa eram o ápice do mau gosto literário tenho péssimas notícias para dar. Surgiu nos últimos meses num novo “gênero literário” que conseguiu unir a melosidade dos livros de Stephenie Meyer com a sacanagem dos de Erika Leonard James. Sim, jovens mancebas que se apaixonam por criaturas míticas (não apenas vampiros, mas lobisomens, bruxos, zumbis, curupiras ou qualquer criatura do gênero) cuja narrativa é repleta de cenas “picantes” de tão ou com maior mau gosto do que Cinquenta Tons e seus derivados. Ok, todo escritor possui a liberdade para criar aquilo que sua imaginação mandar, mas por favor, não queiram qualificar esses livros como sendo de “terror” ou “horror”. Não é porque o livro tem um vampiro que ele pode ser assim qualificado, há necessidade de mais, muito mais. Qualifiquem essas obras como “literatura hot” (outro gênero em moda atualmente), pois é isso o que são, por mais que neguem isso. Aliás, ainda que esse gênero literário trabalhado com maestria por escritoras “fofinhas” não tenha nada de literatura fantástica darei meu “pitaco”: essas obras nada mais são do que uma nova versão daqueles livrecos estilo Julia e Sabrina, que vinham de brinde no pacote se sabão em pó Omo, não sendo novidade alguma, apenas uma reinvenção do que já existia, talvez com uma putariazinha mais explícita. Mas como diz o jargão: “nada se cria, tudo se copia”, não é verdade?

3 – Campeões de vendas.

Muita gente não escolhe o livro que vai ler baseando-se em indicações ou sinopses, principalmente quando se trata de e-books no Amazon, mas sim acessando a lista dos “mais vendidos” e agindo como uma perfeita “Maria vai com as outras”. Ou seja: se todo mundo comprou, deve ser bom. Aí é que esse cidadão (ou cidadã) se engana. Existe uma prática, no mínimo deprimente, entre alguns escritores que é o de adquirirem seus próprios e-books para que eles estejam constantemente no tipo da lista dos “mais vendidos” (ou quase lá). Para quê? Exatamente para fisgarem os leitores que compram apenas os “mais vendidos”, de forma que se torna uma bola de neve. Estratégia de marketing, dirão alguns. Sim, realmente é, mas não deixa de ser mais uma deplorável manobra para empurrar ao leitor algo cuja qualidade é discutível. Portanto, se você possui esse costume, sugiro que reveja esse tipo de atitude, para não comprar gato por lebre.

4 – Eu sou Deus.

Tem “escritor” por aí que de duas uma: ou ele é mais burro do que podemos imaginar ou o ego dele faz com que ele perca a noção da realidade e do ridículo. Essa figura, já citada algumas vezes em outras matérias aqui no blog, sempre foi esculhambada por ficar publicando “dicas para escritores”, “como se comportar em eventos” e etc. Acho que escritores gabaritados para tal finalidade seriam algo como Jorge Amado, Paulo Coelho, dessa estirpe, e não um zé ninguém autor de dois livrecos que se considera apto a ensinar isso ou aquilo pelo mero fato de acreditar ter o rei na barriga. O pior é que ele, nas redes sociais, nega até o último fio de cabelo realizar tal prática, posando de “bonzinho”, “injustiçado” e “perseguido”, como se o mundo conspirasse para a desgraça dele. Não vou ficar citando nomes para não dar Ibope para essa gentalha literária, mas quem é do meio provavelmente sabe a quem me refiro e, se no caso você não souber, entre em contato que e equipe esclarece suas dúvidas “in off”.

5 – Vinde a mim as menininhas.

Não foram uma ou duas denúncias que chegaram até a equipe, mas várias, nesse gênero. Existe um escritor por aí, que possui até certa fama principalmente dentro da literatura fantástica, que costuma diferenciar seus contatos entre leitores e leitoras. Sim, o cidadão em questão, precursor do sistema de auto-publicação, casado e pai de família, trata de forma diferenciada seus leitores, de acordo com o sexo. Um dos nossos “leitores denunciantes”, pertencente ao gênero masculino, disse ter entrado em contato com esse escritor, por diversas vezes, mas seus e-mails nunca foram respondidos. O que ele fez? Copiou um de seus e-mails, exatamente o mesmo conteúdo, e o enviou ao autor com a conta de e-mail da irmã dele. Resultado: em dois dias obteve a tão almejada resposta, diga-se de passagem, cheia de gracejos. Posso chegar então a algumas conclusões: ele dá preferência a opiniões femininas, ele possui aversão a homens ou seu casamento não está lá essas coisas. Poxa, que feio! Mais um que usa a literatura para conquistar “namoradinhas”?

6 – Palestrante ou escritor?

Recentemente foi publicado algo sobre isso aqui no blog, mas vou reforçar diante de alguns e-mails que nos foram enviados a respeito. Tem outro escritor da literatura fantástica que está na crista da onda e que, pelo menos para mim, fica difícil entender o motivo do sucesso. Seus livros possuem erros bizarros, são mal escritos e confusos, mas vendem consideravelmente. Por quê? Pelo simples fato de ele ser um “showman”. Exatamente. Embora seus livros possuam baixa qualidade sob diversos aspectos, o autor se mostra um ótimo palestrante. Conta piadas, histórias divertidas e cativa o público. Até aí ok, perfeito, mais uma estratégia de marketing, o curioso é que ele foge como o diabo da cruz quando lhe é feita alguma pergunta mais “profunda” sobre os livros que ele mesmo escreveu. Ou ele é incapaz de dissertar sobre aquilo que ele mesmo cria ou então deve ter algum “escravo boliviano” trancado no porão de sua casa de cuja produção literária ele se aproveita. Quem pode dizer?

7 – Medo, mas vergonha...

Estamos às vésperas da Bienal do Livro de São Paulo, e a patotinha de sempre já confirmou presença no evento. O engraçado é que alguns deles (que incansavelmente foram apedrejados em outras matérias aqui do blog), só assim o fizeram quando tiveram a certeza de que não seriam alvo de achincalhamentos públicos, pedradas ou coisas do gênero. Ainda assim devem ter uma pontinha de medo, vai que algum leitor psicopata apareça para tirar algum tipo de satisfação, afinal, dinheiro não é capim. Mas aproveito a citação da Bienal e fico aqui me perguntando: que estratégias esdrúxulas serão utilizadas nessa edição do evento? Plaquinhas no pescoço implorando pela compra de livros, mulheres usando apenas tapa-sexo atraindo leitores ao “stand” da sua editora, pseudo-sei lá o quês tocando violão para atraírem atenção do público, stand´s de compre meu livro e ganhe um beijo (?????) grátis, enfim, podemos esperar qualquer coisa, o que vale é vender, ainda que a dignidade seja enfiada no orifício... nasal.

8 – Desabou?

Quem acompanha o blog deve se lembrar do famigerado projeto “Casa do Escritor”, organizado pela Editora Buriti. Mas, que fim levou o projeto? Vários e-mails chegaram com a mesma indagação, e tudo leva a crer que ele foi abortado. Basta visitar a página do projeto no Facebook, e ainda mais, o link onde era mencionada a participação de um expoente literário no mirabolante projeto, nesse link, que não dá em nada. Nenhuma palavra é publicada a respeito. Ou faltou interesse dos aspirantes a escritor em participarem da tal casa ou os organizadores se conscientizaram de que era uma furada.

9 – Bib Esfiha.

Se você acha que há quem se venda por pouco, saiba que dentro da literatura fantástica alguns valem meia-dúzia de Bib Esfihas. Sim, alguns daqueles que se auto proclamam como arautos da produção independente, da cultura alternativa e da arte underground se sujeitam a participarem de eventos sem pé nem cabeça sob a promessa de ganharem algumas das refinadas iguarias do Habibi´s. Não importa se o dito evento junta nada com coisa alguma, desde que seu organizador lhes pague um lanchinho na popular rede de lanches. Orgulho? Dignidade? Nada vale mais que uma esfihazinha e um suco de laranja.

10 – Prostituição literária.

Essa é pra finalizar, com chave de ouro. Há um “autor” que se utiliza de uma “estratégia de marketing” de caráter, no mínimo, duvidoso. Se você já arrancava seus cabelos ao se deparar com o marketing das escritoras da já mencionada “literatura hot”, onde elas aparecem em banheiras de espuma e fotos “picantes”, prepare-se para o pior. Mas, em tempo, ao menos essas citadas escritoras trabalham com o gênero hot, de forma que é compreensível o marketing que realizam. Qual justificativa pode haver para um “escritor” que aborda o tema “zumbis” publicar fotos como as abaixo? É a achincalhação definitiva daquilo que se entende por escritor. Parece que a entidade em questão pretende que seus livros sejam vendidos não pela qualidade do que produz, mas sim, pelo anseio dos carentes de plantão em possuírem “seu copo nu”. “Ah, isso é dor de cotovelo”, dirão os fás do dito cujo, em coro. Claro, possuo uma inveja incontrolável em passar ridículo. Sem mais, veja as fotos abaixo e comente. Vale observar que "editei" as fotos da criatura, preservando sua identidade, mas caso alguém possua um interesse mórbido em saber de quem se trata, envie um e-mail.



Por enquanto é isso, está bom ou querem mais?

Ficou claro que evitei citar os nomes dos envolvidos nessa palhaçada toda, embora não seja difícil reconhece-los em um ou outro item, mas não vou chamar a atenção do público para pessoas que só fazem com que a literatura fantástica seja ainda mais achincalhada.

Vejamos como será a Bienal de São Paulo, que em breve se iniciará, e se ela renderá material para novas publicações.


Entre em contato: litfanbr@gmail.com


32 comentários:

  1. Para quem é do meio, tudo o que foi citado não é nenhuma novidade. O meio literário está cada dia mais infestado por criaturas escrotas que nele vêm tudo, menos uma oportunidade de apresentar bons trabalhos.
    E quanto ao indivíduo das fotos eu sei bem quem é, está na minha lista de contactos do Facebook.
    E eu sempre desconfiei que ele gostasse de dar ré no quibe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente a inclusão digital abriu território para que qualquer analfabeto ou oportunista de ache no direito de publicar isso que tem a cara de pau de chamarem de livros.
      Quanto ao "senhor bundinha" da foto, se dá ou não ré no quibe não podemos dizer, até mesmo porque a opção sexual das pessoas não nos diz respeito, o problema é uma criatura despudorada dessas utilizar a alcunha de escritor.

      Excluir
  2. ESSE É O LITFANBR QUE TANTO AMAMOS!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabemos que nossos leitores adoram quando a merda é jogada no ventilador.

      Excluir
  3. Sacanagem vocês pegarem foto de gogo boy e falarem que é de um escritor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Antes tivéssemos "plantado" essas fotos, o mais deprimente é que elas vieram junto com o e-mail falando do indivíduo.
      Ainda foi feito o favor de omitir o rosto da criatura em questão, mas quem conhece as peças perniciosas da literatura pode imaginar bem de quem se trata.

      Excluir
  4. Meu deus do céu.

    Estas postagens às vésperas da Bienal de São Paulo vão colocar muita gente em saia justa, não?
    E como bem sabemos, não é preciso citar nomes, porque quem acompanha o blog (ou o meio literário), consegue identificar bem, toda essa fauna que motivou o post.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa fauna que motivou o post, assim como em tantos outros, está com a saia mais que justa, só eles que não perceberam isso. Ou perceberam e se fazem de imbecis para não darem as respectivas caras a tapa.

      Excluir
  5. Respostas
    1. Mas nós jamais publicamos algo além das verdades, esteja certo(a) disso.

      Excluir
  6. Aquela tal de Maribell Azevedo mesmo é uma das autoras que compra seus próprios livros na Amazon para que ele esteja sempre entre os mais vendidos. Sem contar que o livro dela não tem nada de terror, só porque o personagem galã do livro é um vampiro ela coloca ele como sendo de terror.
    Tem mulher que deveria ir lavar louça em vez de escrever livros, essa que é a verdade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O interessante é que já tive boas ideias para meus projetos enquanto lavava louça.
      E sobre comprar o próprio livro na Amazon, não e tão fácil assim. Acontece que cada perfil só pode comprar uma única vez, o mesmo livro.

      Mas me foi fortemente recomendada a grande estratégia de marketing, de baixar o meu livro para R$ 2,00 e dar este valor para que amigos e parentes o comprassem no Amazon, de forma que ele ficasse entre os primeiros e tal.

      A minha resposta foi um grande NÃO, pois prefiro muito mais pensar em uma estratégia de marketing legal do que ficar me indispondo com amigos e parentes em favor de vendas FAKE.

      Hoje o meu livro deve estar em último lugar da lista, mas julgando pelo que temos visto no topo, me sinto bem confortável nesta posição.

      Eu só quero saber quando essa onda dos vampiros vai acabar... pelamordedeus.

      Excluir
    2. Os livros da Maribell Azevedo custam 5 paus....que coisa não ?

      Excluir
    3. Quem lê essa Maribell e essas escritorazinhas que pensam escreverem horror são tudo comédia.
      Tem muito escritor nacional, com e-book bem em conta e que aborda o terror genuíno.
      Talvez as histórias não façam você cagar nas calças, mas tenho a certeza que terá medo de ler o que eles escrevem, por exemplo, na madrugada.
      Pesquisem sobre o César Bravo, Oscar Mendes Filho e Afobório e parem de ficar lendo porcaria.

      Excluir
  7. Sei de uma autora que cria perfis fakes no facebook para entrar em grupos e fazer propaganda dos livros, como se fossem leitores compartilhando suas experiências. Chega a montar grupo d fã clube com esses fakes... Vergonha alheia...

    ResponderExcluir
  8. Pra quem ainda não sabe, isso aí que se diz "escritor", essa bichinha pão com ovo, escrota, com a foto do rabo virada pra câmera é o Tiago Toy, o mega master blaster escritor da Editora Draco.
    Vocês tão bem de casting heim pessoal da Draco, kkkkkkkkkkkkkkkkk.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ô inveja! Deve ser um viadinho ((nada contra os gays)) apaixonado pelo Tiago Toy.

      Excluir
    2. Fã-clube das "Toyzetes" arrancando as "carcinha" de revolta, kkkkkkkkkk.

      Excluir
    3. Desculpa, mas Deborah Segundo é o nome de guerra do namorado do Toy?

      Excluir
  9. E a editora ...Alguém sabe me dizer qual é ? Estou na dúvida.

    ResponderExcluir
  10. Sou a pessoa que enviou o email a vocês, mas tive mesmo um problema com ele. Vou providenciar outro e repassar informações que o público deve saber. Além disso tudo, tenho fotos piores do Tiago Toy. Sei também que ele estava planejando um golpe em um figurão de Hollywood para conseguir green card e tudo. Parece mentira, mas vão no twitter dele. Está tudo lá para quem quiser ver. Mike Sington, da Universal Pictures, é o cara que quase foi pego pela ganância e esperteza de um "escritor" brasileiro com gana de subir rápido demais.

    Olhando por esse lado, tenho orgulho de não ter meus escritos nos mais vendidos da Amazon, como ele adora exibir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pelo jeito essa história do Toy vai muito além da "bundinha".
      Isso está ficando cada vez melhor.

      Excluir
    2. Tem uma foto no Twitter no qual ele está ao lado da mãe e da avó, com a singela frase - Eu vim destas vaginas, escrito em inglês.

      Excluir
    3. É bem coisa de bichinha escrota mesmo, depois essas porras ainda querem respeito.

      Excluir
  11. Gostaríamos de alertar aos leitores que tentem ser mais "moderados" nos comentários.

    Tudo bem que os personagens achincalhados no blog fazem por merecer toda sorte de piadinhas infames sobre eles, mas alguns comentários possuem termos um tanto "inapropriados".

    Contamos com o bom senso de todos.

    Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nos portamos de acordo com o ambiente. Aqui é tudo tão baixo. Temos que manter o mesmo nível.

      De nada.

      Excluir
    2. Chutenacara.com.br15 de agosto de 2014 13:52

      Mantemos aqui o nível pertinente à Literatura Fantástica atual, se o blog tratasse de escritores decentes, talvez o teor das matérias fosse mesmo diferente.

      Se você se mordeu porque não publicamos aquele seu comentário cheio de termos de baixo calão, melhor procurar outro blog para comentar, como o da sua mãe, por exemplo.

      Excluir
  12. Vcs amam msm o Toy. Acompanho esse bloguezinho só pra ler as idiotices que vcs postam, mas tá virando perseguição com ele. Se levaram um fora dele por ele não ter topado fazer parte da equipe ou ter negado uma entrevista, não precisam ficar tão mordidos. Ele tem mais oq fazer, como escrever e continuar evoluindo como escritor. Se ele é bonito e PODE postar esse tipo de foto, quem são vcs pra julgar? Vão transar ou lavar uma louça. Melhor: vão estudar Literatura ou pelo menos aprender a estruturar um texto de forma decente. Vcs se julgam tão acima dos meros mortais, mas parecem o João Kleber do mercado literário. Seriedade mandou um bjo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tava demorando pras "Toyzetes" aparecem e encher o saco, kkkkkkkkkkkkkkk.

      Excluir
    2. Mesmo diante de toda essa merda que já foi dita sobre o cara você ainda quer defendê-lo?
      É por isso que o meio literário está como está, uma merda, porque por mais medíocres esses "escritores" sejam ainda há quem os defenda.
      E, se o seu interesse em defender o Toy tiver alguma segunda intenção, esqueça, porque ao que tudo indica o negócio dele é uma bela banana.

      Excluir
    3. Taina, existe uma frase assim "Tudo posso, mas nem tudo me convém", mas provavelmente pessoas do seu nível cultural não a conheçam.
      O cara é "escritor" e não ator pornô (será??).
      Não queira defender o que é indefensável.

      Excluir

Pode chorar...