Literatura Fantástica Brasileira

Literatura Fantástica Brasileira

Desnecessário...


Por Astrid Underground.


Já faz um tempinho que não publico nada por aqui, mas hoje me vi obrigada a colocar, de novo, a boca no trombone.
Estava garimpando alguns livros no Amazon e me deparei com o livro ilustrado acima: Brasil Fantástico, Histórias Fantásticas Saindo do Nosso Saco Folclórico, do já conhecido escritor André Vianco.

De cara fiquei feliz pela oportunidade de poder ler mais um livro dele, e o donwload seria grátis.
Tudo bem que ele faz parte de uma série de livros, conforme constatei no blog da Editora Draco (responsável pelo livro), e que esse "volume" seria apenas um dentre vários outros escritos por um bando de gente que nunca ouvi falar, mas quis ler o trabalho do Vianco, que já produziu obras que muito me agradaram.
Mas fiquei desconfiada quando vi a quantidade de páginas da obra para download: oito.
Tudo bem, entendi que fosse apenas uma amostra do projeto e que poderia ler ao menos um ou quiçá dois contos. O que me animou foi a perspectiva de ler o "criador dos vampiros X-Men" criando textos baseando-se na cultura brasileira.
Adquiri o dito cujo e qual foi minha (desagradável) surpresa quando abri o arquivo no tablet para ler e ele nada tinha além daquela chatice de informações técnicas, um espécie de prefácio explicando o motivo de escrever o livro e o sumário do mesmo.
Não. Não havia conto algum na tal obra.
Concordo que possa ser uma estratégia de marketing da editora para aguçar a curiosidade dos leitores, mas achei bastante desagradável.
André Vianco já possui nome suficiente no mercado literário para ter que fazer uso desse tipo de pegadinha com os leitores e acredito que essa tenha sido exatamente a jogada da Draco para atrair a atenção do público para o livro: divulgar o nome do participante mais famoso como um chamariz.
Mas não gostei e achei de péssimo gosto.
Provavelmente haverá os que correrão atrás da obra para lê-la, mas eu, peguei nojo.
Talvez eu esteja aqui falando um monte de besteiras por não ter entendido a premissa de a obra estar no Amazon, e se for o caso, gostaria que alguém me explicasse, da Editora Draco, ou o André Vianco (ri alto agora, Vianco dando atenção aos meros mortais).
Confesso que não entendi e fiquei puta da vida.
Não tenho obrigação de entender de estratégias de marketing, não trabalho com isso, assim como a maciça maioria dos leitores que também deve ter se desapontado com isso.
A diferença é que eu tenho onde expressar minha indignação, coisa que a maioria não tem.

Entre em contato: litfanbr@gmail.com

4 comentários:

  1. Existem outras formas de se disponibilizar textos de degustação, que é o que parece ser esse da Draco. Mas, usar a Amazon, que é uma loja, para esse tipo de "promoção", me soa como um oportunismo de espertinhos se aproveitando das condições favoráveis oferecidas pelos outros. Deveria haver, pelo menos, um conto completo. Se o ebook estava disponível para download gratuito, bem poderia também estar a venda!
    E, sabe-se lá se a editora não colocará a venda fichas técnicas, não é? Só saberá quem comprar.

    ResponderExcluir
  2. Independente de fama, esse tipo de "pegadinha" não cabe a nenhum escritor.
    Tá certo que é gratuito, mas causa sim, uma decepção, e isso é extremamente negativo.

    Mudando de assunto:
    Falando do Amazon, um fator que, com certeza afeta as vendas, é a quantidade de escritores que: Ao perceberem que seus livros estão vendendo pouco, colocam promoções de gratuidade para tentar conseguir mais leitores.

    Todos os livros nacionais, publicados no Amazon, que me interessaram, foram por mim, adquiridos de graça.
    Isso porque, hora ou outra, TODO MUNDO COLOCA DE GRAÇA.

    É até uma sacanagem com quem pagou, saber que no outro dia, poderia ter pego no 0800.
    E sabendo disso, o leitor comum, nunca vai comprar nada. É só esperar um pouco que a gratuidade vai rolar. Eu já vi uma mesma obra entrar em promoção, mais de três vezes.

    Por isso, nos anúncios do meu livro eu informo: Este livro nunca mais será posto em promoção de gratuidade no Amazon. Restando aos leitores, comprarem, ou buscarem pela pirataria.

    Mas quanta gente deixa de comprar achando que, conforme o costume, aquela obra vai ficar "de grátis"?
    Isso tende a gerar um impacto cultural que derruba as vendas no Amazon.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quanto ao "marketing" adotado eu prefiro nem comentar porque o que mais tem são coisas esdrúxulas no meio literário.
      Porém, em relação aos livros gratuitos no Amazon, há casos e casos. Recentemente liberei um livro meu gratuitamente na loja, por um curto período de tempo, apenas como forma de divulgação do meu trabalho. Tenho dez livros publicados e certamente vários deles jamais serão disponibilizados gratuitamente.
      Quando o escritor decide tomar tal decisão ela deve ser baseada em um estudo sobre seus trabalhos. Há aqueles que, por algum motivo, podem ser disponibilizados gratuitamente, sem prejudicar os leitores, enquanto há os "carros-chefe" que não devem ser liberados.
      O problema é que tem gente desesperada para vender livros e acaba metendo os pés pelas mãos, mas em marketing deve-se fazer estudos sobre estratégias, não ficar agindo como vaca-louca.
      O problema é que o meio está repleto de vacas-loucas e, pior, de quem lhes dá capim.

      Excluir
  3. Pesquisei a respeito dessa obra e até o tal de Clinton Davidsson tá metido nessa. Tá fácil pra ninguém não.

    ResponderExcluir

Pode chorar...