Literatura Fantástica Brasileira

Literatura Fantástica Brasileira

Codex de Ouro: A Farsa.

Codex de Ouro 2013 - Literatura Fantástica Brasileira

Por Astrid Underground.


A data para entrega do prêmio Codex de Ouro 2013 se aproxima, dia 07 de dezembro, e parecia inevitável que se tornasse pública a charlatanice que o ronda.
Acredito que o organizador tenha agido com a melhor das intenções quando resolveu criá-lo, mas diante do que se tornou público só posso constatar que o mesmo não merece a menor credibilidade, assim como a grande maioria do que existe dentro do meio literário.
Leitores pela-saco de escritores que concorrem ao prêmio não fazem a menor questão de disfarçar e afirmar de forma descarada terem criado contas de e-mail com a única finalidade de votarem no site do Codex nas obras e autores da sua preferência.
Que isso aconteça não causa surpresa para ninguém, mas falar isso abertamente tira todo o crédito sobre o prêmio, afinal de contas, os ganhadores serão aqueles que possuem mais leitores ou puxa-sacos desocupados o suficiente para criarem diversas contas de e-mail e votarem e não os que realmente merecem ser premiados.
O curioso é que os escritores se omitem, fingem não enxergarem nada, e na minha opinião "quem cala consente". Se eu participasse de algo do gênero me sentiria envergonhada por ganhar qualquer tipo de coisa na base da desonestidade, principalmente um prêmio.
Isso sem contar aqueles que não se envergonham de dizer "não li o livro, mas vou votar nele". Ok, cada um enfia o voto no local onde mais lhe convém, mas que méritos uma obra ou autor tem em vencer um concurso dessa maneira? A pessoa vai voltar em determinada obra baseando-se em quê? Na capa? Na sinopse? E no autor ou autora? Pelo tamanho do decote ou pelo volume sob suas calças? É ridículo isso.
Desde as edições anteriores do prêmio já vínhamos denunciando a falta de integridade dos premiados, não que eles sejam culpados por seus leitores ou puxa-sacos agirem assim, mas eu no lugar deles me sentiria envergonhada.
A escolha dos que concorrem ao prêmio para mim já é um tanto obscura, uma vez que no último evento teve autor sendo convidado a participar do Codex sendo que seu livro sequer tinha sido lançado no Brasil, ainda.
Como um livro que não circula no Brasil pode concorrer a um prêmio brasileiro?
Os autores não podem ser responsabilizados, uma vez que não pedem para participar, são escolhidos sabe-se Deus com que critérios...
Pois é, e ainda tem escritor que bate no peito dizendo ter ganho o Codex como se ele fosse um Óscar Literário, como se sua obra fosse a oitava maravilha do mundo.
Se você, autor, se acha o fodástico literário por vencer o concurso ou simplesmente por ser indicado a ele só podo dizer uma coisa: você é um infeliz inseguro que precisa de prêmios desse tipo parar permanecer escrevendo.
Definitivamente essa corja literária que prossegue lambendo um o ovo alheio acha que somos burros e que acreditamos na qualidade do lixo que insistem em enfiar-nos goela abaixo.
Prefiro ler um livro desconhecido, mas cujo autor eu conheço e aprecio, do que uma porcaria enaltecida por parasitas e premiada com coisas desse tipo.
Ê Brasil, qual será o fim disso?
Com quantos Fakes se faz um escritor nos tempos de internet?
É lamentável.

Entre em contato: litfanbr@gmail.com

Codex de Ouro 2013 - Literatura Fantástica Brasileira
Como a corja literária vê os leitores.





3 comentários:

  1. Apesar da maneira como o(a) autor(a) coloca seus pontos de vista, tenho que concordar com uma coisa. Há gente que acha que o dito prêmio é mesmo uma espécie de Oscar e já se acha a oitava maravilha do mundo literário. Acho esse tipo de comportamento degradante demais para uma classe que, sem nem mesmo publicar um livro, acha que deveria ganhar o Nobel. Lamento que as coisas tenham chegado a tal ponto onde os egos são mais ressaltados do que as obras. Eu mesmo já li algumas (a maioria por pura curiosidade para ver como andava a produção literária) e lamento até hoje de tê-lo feito. Gostaria muito de ver alguns nomes ganharem, mas sei que não vão ganhar porque não pertencem ao meio fantástico. E ainda são esculachados em público porque falam isso com todas as letras possíveis, como se o fantástico fosse o único ambiente literário. Será que um dia teremos um prêmio onde os indicados poderão dizer com certo orgulho (em medidas moderadas, claro) que foram indicados ou o orgulho é um pecado capital forte demais para ser domado pelos egos desses ditos "escritores"? E até quando teremos que ver artigos como este que, embora tenham linguagem agressiva, retratam uma dura e crua realidade? Só o tempo poderá dizer...

    ResponderExcluir
  2. O grande, imenso problema desse 'prêmio' é a total ausência de parametros. Procurem no site o 'regulamento' - ou 'edital', ou 'regras' ou qualquer coisa similar.

    Não existe. Tem apenas uma descrição muito chinfrim das ''categorias'', algumas beirando o absurdo. Música literária?

    Não dá para saber se os concorrentes devem ser brasileiros, ou se podem ser estrangeiros naturalizados. Se os livros devem ter sido publicados em uma data específica (quase todo o prêmio é assim!) ou se vale qualquer coisa de qualquer ano - Machadão para o Codex de Ouro 2014, então.

    Outra coisa: nomes da comissão. Quem são, o que fazem, onde vivem. Será que o Globo Repórter vai desvendar? Quem são esses literatos que classificaram uma obra de História Alternativa como Policial?

    Se houve boa intenção - e não mais uma tentativa de autopromoção panelística movida a egocentrismo - é como dizem por aí: o caminho pro inferno está asfaltado com boas intenções.

    ResponderExcluir
  3. Têm escritor, concorrendo em 2 , 3 premiações diferentes...Só existe o livro dele na literatura brasileira ? Vale qualquer livro...desde que seja da panela....Meus Deus !!

    ResponderExcluir

Pode chorar...