Literatura Fantástica Brasileira

Literatura Fantástica Brasileira

Editoras sob demanda: vale a pena?


Por Astrid Underground.

Essa é uma das grandes dúvidas dos escritores iniciantes.
Por não possuírem contatos dentro do meio literário e não sabendo como ingressar no mercado os que almejam publicar seu primeiro trabalho sentem-se tentados a assinar contrato com alguma das inúmeras editoras que trabalham dessa forma.
Mas vale a pena desembolsar uma quantia relativamente alta para realizar o sonho de ter seu sonho realizado?
Se o autor dispuser da quantia exigida e se o contrato for assinado com uma editora idônea e que cumpre realmente as cláusulas contratuais, sim, vale a pena.
Mas não é assim tão simples.
A cada dia aumenta a quantidade de editoras que trabalham com essa política, sinal de que ela é lucrativa, o que deve ser observado é se elas realmente realizam todo o trabalho prometido ou se estão interessadas somente no dinheiro do autor.
Me parece que existe uma espécie de "caça-talentos" dentro dessas editoras uma vez que basta um autor expressar a vontade de publicar seu livro, seja em blog´s ou páginas de relacionamento, para que elas entrem em contato com o aspirante e ofereça seus serviços.
Aqui no blog já foram publicadas algumas matérias denunciando editoras que trabalham dessa forma e que oferecem serviços de péssima qualidade (quando oferecem algum).
O autor deve ter em mente que uma editora deve se responsabilizar por alguns fatores quando se compromete a publicar uma obra: revisão do texto e diagramação, por exemplo. Porém, dependendo do contrato, fica também sob a responsabilidade dela a confecção da capa e alguns outros serviços como divulgação e distribuição. Tudo vai depender das cláusulas contratuais.
Porém existe uma forma menos dispendiosa financeiramente e que funciona relativamente bem para os escritores iniciantes: a participação em antologias.
Esses trabalhos servem para que o autor se popularize dentro do meio literário e consiga fazer contato com outros profissionais, como escritores e até mesmo editores.
Os valores para a participação em obras do gênero são bem inferiores aos de uma publicação "solitária" e, no caso de autores novatos, bem mais efetivo quando se trata da divulgação do seu nome.
O processo é o mesmo das editoras sob demanda: o autor dispõe de um valor para que seu trabalho seja publicado, entretanto, em uma obra "coletiva". O autor recebe uma quantidade X de exemplares da obra e se encarrega da venda delas. Mas nesse caso o marketing é realizado não somente pelo autor em si, mas pelo organizador, pela editora e pelos demais autores participantes.
Claro que, para isso, o trabalho do autor deve possuir qualidade suficiente para que ele possa participar da obra, o que será analisado por seu organizador. 
Um dos poucos organizadores sérios que posso citar é o Ademir Pascale, que já organizou diversas antologias e trabalha com a All Print (se não me falha a memória, a tia está meio caduca) e até hoje nunca ouvi nenhuma crítica a respeito dele.
É verdade que aqui no blog já foi citado um caso onde foi publicado um conto cuja revisão continha erros grosseiros, mas no geral os trabalhos dele são muito bons.
Então fica a cargo do autor analisar qual das alternativas atende melhor seus anseios.
No meu ponto de vista as antologias são uma opção melhor para quem está iniciando a carreira literária, uma vez que um trabalho realizado coletivamente costuma trazer melhores resultados.
Porém sugiro que vasculhe tanto o nosso blog quanto outras páginas que tratam do assunto, converse com autores independentes e procure analisar bem as possíveis propostas que lhe possam ser feitas porque existem muitas arapucas por aí: editoras que prometem mundos e fundos, mas que assim que recebem o valor estipulado jogam nas costas do autor livros de péssima qualidade (revisão horrível, algumas vezes realizadas meramente pelo Word e péssima qualidade de edição, como no caso da Editora Livropronto) e não querem saber de mas nada.
Sobre a "editora" que citei há matérias aqui no blog e vale a pena dar uma olhada para conhecer os problemas enfrentados por quem trabalha com editoras desse nível.
E lembre-se do velho e sempre atual dito popular: "quando a esmola é muita o santo desconfia".

Entre em contato: litfanbr@gmail.com




5 comentários:

  1. Terminar de escrever um livro pode tanto significar a realização de um sonho como o início de um grande pesadelo.

    Caindo a arapuca das más editoras, o autor muito provavelmente irá se endividar, se indispor com amigos e parentes que simplesmente decidiram não comprar o livro (estão no direito deles), e enfrentando tantos problemas, poderá até pendurar melancia no pescoço em bienal para tentar levantar as vendas.

    Em resumo, se arrependerá completamente de um dia ter escrito esse livro.

    Eu sou autor iniciante, e mesmo depois de ler esse blog, por incrível que pareça, enfrentei problemas.
    Mas tudo está se acertando e os prejuízos foram relativamente pequenos. Agora, eu, autor, assumi toda a divulgação, a impressão e estou acertando também, a distribuição. Porque a editora simplesmente não fazia nada.

    Livro de autor iniciante vende nas livrarias sim, mas existem vários fatores. As livrarias precisam de lançamentos de tempos em tempos para poder atrair público, e isso é ótimo para os autores iniciantes, pois, estarão entre títulos de autores famosos e com grandes chances de serem vendidos, também.

    Mas isso vai depender de quanto o autor pode gastar pra isso.

    Na minha opinião, não tem mágica. Autor iniciante, ou gasta dinheiro, ou trabalha para vender o próprio livro, enfiando o pé na estrada.

    Pague uma revisão, uma capa, uma diagramação, um livro digital e faça uma tiragem de 100 exemplares impressos.
    Monte uma bela página no facebook, um blog, um twitter. Divulgue entre amigos e familiares, e faça parceria com livrarias para noites de autógrafos.

    Em poucos meses, você terá dado cabo dos 100 exemplares impressos. Aí é só continuar oferecendo a versão digital, e se houver demanda, faça mais 100 exemplares e repita o processo em cidades diferentes.

    Depois lance o segundo livro, e ofereça entre as pessoas que compraram e gostaram do seu primeiro. Elas com certeza irão comprar o segundo também.
    E repita todo o processo.

    Assim, você vai montando uma carreira de forma gradual. E depois de alguns anos e com 4 ou 5 livros publicados, estarás ganhando uma grana com os seus livros.

    Desculpem o texto horrível, estou com preguiça de revisar, mas acho que dei pra entender o que eu quis dizer.

    ResponderExcluir
  2. Todos nós que escrevemos um primeiro livro, temos urgencia em sermos lidos. Então caimos fácil na primeira editora que nos fala maravilhas de nossa obra. Na segunda editora, cai igual patinho...principalmente, quando vc já recebeu alguns nãos....Vamos ao conselho. Envia sua obra para o maior número de concursos literários que vc encontrar. enquanto a resposta não chega, vai arrumando o texto. Veja o meu caso. Pensei ter terminado meu segundo livro em julho de 2012. Então entrei no concurso Benvirá...Não ganhei, mas descobri que o texto que eu achava ótimo estava ruim...então continuei trabalhando nele. Agora em 2013 surgiu o concurso Sesc ...coloquei a obra novamente...pode ser que não ganhe novamente, mas nestes quase 2 anos , o livro já passou por uma série de revisões e por uma blogueira literária e uma parecerista...E elas me comprovaram o que eu sabia, mas não queria ver...o texto ainda não está bom... Tenha calma, vá enviando o texto para as editoras não pagas e coloque em concursos...Numa dessas seu texto está melhor que o meu e vc acaba ganhando...de um jeito ou de outro.

    ResponderExcluir
  3. O autor deste post esqueceu de mencionar que existem editoras sob demanda onde você não precisa desembolsar nada. Nessas editoras você paga só para receber livros que deseja revender.
    E existem editoras famosas que cobram preços absurdamente altos para o autor publicar algum livro nelas.
    Então tudo aqui é muito relativo.

    ResponderExcluir
  4. Antologias são definitivamente a melhor maneira de começar. Terminou um livro? Parabéns. Mas se você não tem algo publicado ainda, guarde ele com carinho (sempre dando uma revisada) e comece a participar de concursos em busca de publicações. Além de treinar a escrita em obras completas menores, (desenvolvendo a trama com coerência) você pode angariar contatos e quando te pedirem: o que você tem mais para nos mostrar, você já tem aquele seu livro completo. E o melhor: com uma boa carga de revisões.

    ResponderExcluir

  5. Tenho algumas experiências com editoras sob demanda, muito ruins por sinal. Publiquei dois livros em editoras diferentes e os resultados foram exatamente iguais, ou seja, péssimas. Elas prometem revisões e no final eu próprio precisei revisar a revisão que disseram ter sido feito e para minha decepção encontrei graves erros. Uma destas editoras foi a LivroPronto e a outra Biblioteca 24x7. Seriedade e honestidade pare ser coisas para um outro mundo, não há mais espaço para essas qualidade. Estou procurando uma editora para meus próximos livros (02) se alguém souber de uma em que se possa confiar, indique...abraços.

    ResponderExcluir

Pode chorar...