Literatura Fantástica Brasileira

Literatura Fantástica Brasileira

Blogueiro: a divindade literária.



Por Astrid Underground.

Há algum tempo estive acompanhando uma discussão ocorrida em determinada rede social onde escritores e blogueiros debatiam acerca do comportamento dos escritores em eventos literários como lançamentos e bienais.

Em determinado momento um dos escritores usou de palavras mais ríspidas para com uma blogueira, na ânsia de defender seu ponto de vista, e imediatamente uma escritora tomou as dores da blogueira utilizando as seguintes palavras: "Como você fala com uma blogueira assim?" e logo em seguida descobriu-se que os envolvidos na discussão, o escritor das palavras ríspidas e a blogueira eram "amigos" na rede social e que, a blogueira sequer sabia que seu "amigo" era escritor.

Pois bem, quanto ao relacionamento existente entre os dois não devo opinar uma vez que desconheço os pormenores acerca de tal relação, o que me chamou a atenção e me deu comichões de vontade de criar esse texto foi a frase "Como você fala com uma blogueira assim?".

Posso estar enganada, como qualquer ser humano, mas a impressão que tal frase me passou foi a de que a referida escritora considera blogueiros como divindades que não podem ser questionadas e muito menos execradas.

Desculpem, mas como participo de diversos blogues, além do Literatura Fantástica Brasileira, posso me considerar como membro da categoria dos blogueiros e não me considero acima do bem e do mal.

São diversos os casos em que blogueiros mendigam livros aos escritores sob o pretexto de lerem a obra e resenhá-la, e posteriormente venderem esses livros. E pior, muitas vezes criam resenhas que não acrescentam nada à obra, muito pelo contrário, muitas delas nada mais são do que o mesmo texto que se encontra nos sites das editoras, o que dá a entender que o livro sequer foi lido.

E quando aparentemente criam a resenha após lerem o livro, a mesma é repleta de elogios. Não me lembro de ter lido uma resenha onde um livro fosse criticado, principalmente quando é um "presente" do escritor.

Que nome podemos dar a um fato como esse além de picaretagem?

Propaganda enganosa para ludibriar os leitores, como tantas que vemos por aí. E pior, devido ao fato de alguns desses blogueiros possuírem certa "credibilidade", quem os acompanha acredita cegamente no que dizem, e adquirem muita porcaria.

A "credibilidade" é nutrida apenas pelos leitores, porque o pessoal do meio literário conhece bem essas peças e todo o mecanismo enojante do meio editorial.

Em nenhum dos blogues que participo eu faço resenhas de obras e, pelo que pude perceber, geralmente esse tipo de atividade é feito por patricinhas que não fazem nada o dia todo e, por algum motivo obscuro, inflam seus egos ao terem seus blogues repletos de "resenhas" e por manterem contato com escritores, como se eles fossem Justin Timberlakes da literatura. Há exceções, obviamente, mas muitos são assim.

O que acho mais curioso é a alta capacidade de leitura dessas blogueiras, praticamente devoradoras de livros, diante da enorme quantidade de resenhas produzida. É, dá pra entender, quando não se faz nada o dia todo...

Cada um faz da vida aquilo que acha melhor e possui a visão das coisas da forma que lhe convém, mas existem coisas difíceis de engolir. Ninguém é obrigado a concordar comigo, não sou dona da verdade, apenas expresso minha opinião (e a de muitas pessoas sem coragem para soltar o que lhes está preso na garganta).

Na minha modesta opinião esses escritores que defendem blogueiros com unhas e dentes (por mais picaretas que alguns deles possam ser) fazem isso por dependerem deles para que seus livros sejam vendidos. De certa forma esses blogueiros nada mais são do que vendedores de livros, que ao invés de baterem de porta em porta e dissertar sobre o produto a ser vendido (à moda antiga) o fazem em suas páginas pessoais da internet e como comissão ganham o livro "di grátis".

Pobres escritores que enfiam no ralo (eu disse ralo) sua dignidade e defendem o indefensável na ânsia de vender seus livros que, por mérito próprio, provavelmente estariam no limbo literário.

As ferramentas para vender livros, principalmente na internet, são as mais diversas e puxar o saco de blogueiros para que eles criem resenhas fantasiosas onde atribuem qualidades inexistentes às obras dos escritores é uma delas.

Blogueiros não são divindades, sendo endeusados apenas por escritores que deles dependem para vender seu lixo literário, mesmo quando literalmente lhes passam a perna.

Quantidade de exemplares vendidos, diante de todo esse cenário, está muito longe de ser sinônimo de que o livro seja bom.

Entre em contato: litfanbr@gmail.com

3 comentários:

  1. Devido a parceria entre editoras e blogs literários, meu livro foi parar no Recife. Passado alguns dias notei que alguem tinha dado uma nota ao meu livro no Skoob e feito a resenha no Blog. Consegui o contato dessa pessoa , e solicitei a ele por e-mail um feedback , pois as resenhas pouco ajudam o novo autor a melhorar sua escrita ... ele me respondeu :

    Você está querendo me enviar um livro seu, para eu fazer uma resenha ?

    Até hoje me pergunto se ele realmente leu o livro, ou foi mais um para coleção .

    ResponderExcluir
  2. É complicado mesmo. Mas embora seja questionado por colegas escritores, ainda acho que blogs literários são uma boa forma de divulgação, e o livro que vai de brinde seria justamente uma forma de pagar por esta divulgação. Coisas de parceria mesmo.

    Agora realmente existem resenhas ruins e inexistentes, além de que, é comum pesquisar um livro específico no google e ser direcionado para várias resenhas que parecem cópias umas das outras.

    Mas aquele livro que seguiu de brinde serve como divulgação mesmo, pois, o blogueiro pode não ter conseguido ler, por não gostar do gênero, mas mesmo assim, ele vai postar falando sobre o livro e em seguida, sorteá-lo ou vendê-lo para alguém que provavelmente vai gostar.

    Em resumo, considero os blogs literários, uma boa forma de divulgação.

    ResponderExcluir
  3. O que me mata são os "critérios" utilizados por alguns blogueiros na construção de suas resenhas. Se o autor é simpático e lhe deu o livro, escreverá maravilhas sobre suas obras, mesmo que elas sejam um lixo. Em contrapartida, se o autor recusar-se a doar livros, será execrado e taxado de mau profissional, antipático, grosso. Por exemplo, conheço uma blogueira que elogiou muito um livro péssimo apenas porque "ficou" com o autor da obra. Quanto profissionalismo, não?

    Ghost Writer

    ResponderExcluir

Pode chorar...