Literatura Fantástica Brasileira

Literatura Fantástica Brasileira

Manifesto pela literatura.

Moralização da Literatura Brasileira - Literatura Fantástica Brasileira
Por Astrid Underground.

Sim, aproveitarei esse importante momento brasileiro onde o povo sai às ruas para reivindicar seus direitos e fazer meu manifesto aqui no blog.
Já fazia algum tempo que eu não escrevia aqui para a página, mas senti a necessidade de me manifestar em prol do que luto já há anos: a moralização da literatura nacional.
"Oportunista, tanta coisa mais importante pra se preocupar e você se descabelando por causa de livro" - dirão os alienados.
A partir do momento que vivemos em uma democracia temos o direito, e o dever, de nos expressarmos sobre aquilo que lutamos. Se eu vivo no meio literário seria hipocrisia a minha espernear em prol dos índios do Acre, concordam? 
Já há mais de um ano eu e alguns colegas desgostosos com o cenário da litfan brasileira decidimos criar esse blog para desmascarar picaretas literários, oportunistas que visam lucro sem oferecer qualidade e toda a espécie de escória que suga o meio literário visando apenas o benefício próprio.
Tivemos o apoio de muitas pessoas, algumas delas que até colaboraram com a página, enquanto outro grupo nos crucificou taxando-nos de tudo que foi coisa, apelando até mesmo para o patamar da sexualidade, tamanho desespero que se abateu sobre eles.
Em certos momentos foram publicadas matérias que foram como um "chute na cara" de muita gente, mesmo sem serem citados nomes, a carapuça caiu como uma luva em certas pessoas.
Editoras de péssima categoria, sim, tiveram seus nomes amplamente divulgados aqui, alertando escritores e aspirantes para as armadilhas que existem dentro da literatura.
Gradativamente nosso blog se tornou referência no que tange à dicas para novos escritores e ferramenta para denúncias e desabafos.
Aqueles desgostosos que insinuaram que nossa página era somente fruto da revolta de alguns escritores frustrados deu com os burros n'água e hoje tem que engolir o fato de ter seu nome (ou suas características) lidas por, em média, cem pessoas ao dia.
Mas, por que decidi escrever esse manifesto hoje? Porque as manifestações que estão acontecendo em todo o Brasil, e em diversas cidades do mundo, me fazem lembrar muito os objetivos e as consequências advindas da criação do blog.
No início das manifestações seus participantes eram taxados de vagabundos e arruaceiros, até o momento em que se constatou a legitimidade das suas reivindicações.
O mesmo se deu conosco: esculhambados por quem se viu atacado por nossas matérias, recebemos toda a sorte de adjetivos medíocres, e hoje vemos o respeito que existe pelas pessoas para com o nosso blog.
É pouco? Sim, porque nossa vontade era a de fazer passeatas, assim como as que estão acontecendo, mas reivindicando a moralização do meio, o impeachment dos escritores e editores fraudulentos.
Entretanto, isso é utópico demais, senão ridículo, mas utilizamos a ferramenta que temos à nossa disposição para batalhar pelo que acreditamos: o blog.
Depois da nossa iniciativa surgiram diversas outras páginas com o mesmo objetivo, e inúmeros escritores e demais pessoas envolvidas com o meio se encorajaram e passaram a desabafar em suas páginas pessoais e nas redes sociais.
Mudamos alguma coisa? Muito pouco, ou quase nada, mas pelo menos estamos fazendo nossa parte e isso nos permite ter a consciência tranquila.
Em 2013 foi notada uma importante diminuição na quantidade de "eventos literários", de lançamentos de livros e das demais atividades relacionadas em relação ao ano anterior. Por quê? Porque todos aqueles que parasitavam o meio temem ter seus nomes aqui divulgados e serem escrachados publicamente. Porque esse ´o nosso objetivo: desmascarar todos aqueles que usam o meio literário de forma indevida, como meio exclusivo para ganhar dinheiro ou ganhar algum tipo de status entre os coleguinhas medíocres.
Tem um premiozinho rolando por aí para premiar os "melhores livros da literatura fantástica nacional", que já foi detonado aqui algumas vezes e pelo que percebo está totalmente desacreditado, até mesmo porque muitos dos participantes já foi denunciado aqui. Li um ou dois livros que estão dentro da lista dos indicados a esse prêmio, e já concluo qual será o resultado.
Não mudamos o mundo literário, mas me sinto satisfeita em constatar que nossa página, ao menos, abre os olhos das pessoas e faz com que elas deixem de dar atenção à todos os que usam o meio literário apenas como massageador de ego e caçá-niqueis.
Faça sua parte, também, e assine a petição http://www.peticao24.com/eu_leio_brasil e vejamos se algum dia consigamos ver a literatura brasileira ser tratada de forma digna, sem a presença dos parasitas que infestam o meio, sejam eles capistas, editores, escritores ou baba-ovos.

Fale conosco: litfanbr@gmail.com

4 comentários:

  1. Concordo com o que falaste mas não assino a petição.

    Eu li a todos os posts desse blog e a opinião que formei é que a picaretagem literária lança livros nacionais que mesmo sendo de qualidade questionável, recebem prêmios, revisões e comentários positivos.

    O leitor, que é o elo mais fraco, compra os livros em questão e não gosta. Ele passa a acreditar que se um nacional tão bem falado e vencedor de tantos prêmios é de fato ruim, o melhor para ele é buscar os autores estrangeiros mesmo.

    Ele está errado? Não!

    A picaretagem prejudicou e muito o cenário literário nacional, mas não é com mendicância literária que vamos reverter isso.

    Rômulo Barbosa
    http://diariodekalyn.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Eu fiz parte de um coletivo de literatura fantástica a alguns anos, e a partir de um momento tivemos certa inserção neste grupo de autores e eventos, o que nos deixou totalmente desanimados com o cenário literário, chegamos as mesmas conclusões desse blog, muito ego, pouco compromisso com a boa literatura de fato. E acabamos nos afastando dos mainstream.
    Conhecemos bastante gente legal também, dentre eles o pessoal da Não Editora, e outros grupos independentes.

    Deixo aqui a minha força para este blog, e estamos na luta pra que o trabalho de escritor no Brasil seja cada vez mais profissional.

    ResponderExcluir
  3. Importante observação do Diogo no que diz respeito às editoras e grupos independentes que não possuem tão amplo canal de comunicações mas estão lá, trabalhando e mesmo alí na margem, se fazem visíveis.

    Na minha opinião, literatura não é apenas escrever e vender livros. A magia da literatura é compartilhar as estórias com os amigos com uma boa bebida onde quer que seja.

    Voltando um pouco para a questão das editoras, venho informar que quase caio no erro da generalização.
    Outro dia recebi um e-mail convite para uma antologia o qual foi enviado para uma lista de um escritor que conheço e que cometeu um erro ao não a colocar no cco.

    Legal, não é? Receber assim de cara, uma lista contendo e-mais de dezenas de pessoas do meio literário... ótima oportunidade de divulgação!

    Assim, chegou até mim o que considerei um spam, me deixando incomodado a ponto de responder para toda a lista sobre o que achava daquilo e de antologias.

    Então o responsável pela editora que pretende lançar a antologia (não o responsável pelo então spam), respondeu o e-mail dando o seu ponto de vista a respeito das antologias de forma tão educada que me senti obrigado a responder com um pedido de desculpas.

    O resultado é que o cara está desenvolvendo um projeto que ajuda autores iniciantes e ainda reside na mesma cidade que eu. Estamos formando uma parceria agora.

    Segue o site dele: http://navras.com.br/

    O cara nem sabe que estou postando o link dele aqui. Na verdade só tento compensar o meu erro de generalização no envio dos e-mails.

    Rômulo Barbosa
    http://diariodekalyn.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desconhecemos essa editora, mas ficaremos muito felizes se ela for uma das que se salvam dentre tantas "picaretatas" e "mesquitronhas" que pululam por aí.
      Que Deus abençoe suas almas imundas.

      Excluir

Pode chorar...