Literatura Fantástica Brasileira

Literatura Fantástica Brasileira

Spending my time...


Por Chutenacara.com.br.

Durante os últimos dias estive mantendo uma conversa até que medianamente razoável, através do chat do Facebook, com uma entidade que prega ser perseguida, caluniada e massacrada por inúmeras matérias publicadas aqui na página.

Vez ou outra eu ainda dedico meu tempo na vã tentativa de fazer com que pessoas denunciadas aqui no blog falem a respeito do que é relatado. Concedo-lhes a chance (ao contrário do que dizem) de se defenderem, mas tudo o que consigo são ameaças e respostas evasivas e desconexas.

Na tal última conversa que vinha mantendo, não foi diferente (como eu já deveria supor): aquela velha lorota de que a entidade poderia nos processar por calúnia e difamação, que existem inúmeras testemunhas para provar que aquilo que é dito aqui não passa de mentira, enfim, aquela conversa fiada toda, mas que não esclarece nada. Resumindo: pura perda de tempo.

O cúmulo da falta de perspectiva de que algo de útil pudesse surgir da tal conversa foi quando a entidade deu a entender que não lia nosso blog, mas que as matérias eram todas mentirosas. Deu pra entender? Pois é, nem eu entendi.

Ela não lê nenhuma matéria, mas sabe que é tudo mentira. De certa forma é compreensível visto que é um hábito entre esse tipo de gente avaliar textos, livros ou bulas de remédio sem ler.

Mas até aí a falta de argumentos não parecia ser nenhuma novidade. A grande novidade foi quando tentei acessar meu Facebook e a conta havia sido excluída sob a alegação de que "o nome utilizado não era verdadeiro".

Bingo! Eis a resposta para todos os questionamentos que apresentei!

Não citarei o nome da infeliz pessoa em questão, mas é provável que a foto que utilizei para ilustrar a presente matéria deixe bem claro de quem eu esteja falando, afinal de contas, todos conhecem esse passarinho pelo festival de cagadas que ele promove.

O que posso concluir disso tudo é que infelizmente esse tipo de atitude é o máximo que se pode esperar de alguém incapaz de apresentar alguma argumentação convincente. Esse é único tipo de argumentação utilizada pelos que se sentem oprimidos pelo blog: denunciar um perfil (que usa um pseudônimo, claro) e que até então era utilizado para uma conversa amigável, e tirá-lo da rede.

Não possuo a mania de perseguição comum à gentalha medíocre que volta e mais figura em nossas publicações; Sendo assim não alegarei que a responsável por tal denúncia seja a interlocutora, mas convenhamos, é muita coincidência! Esse meu perfil existia há mais de um ano e bastou eu colocar a entidade, ainda que de forma sutil, contra a parede, para que meu perfil fosse excluído.

Talvez seja mais fácil agir dessa maneira do que tentar justificar o injustificável: que o trabalho da entidade em questão foi feito às avessas desde o início, que a organização foi amadora ao extremo com datas de lançamento desencontradas, pagamento de direitos autorais feito com atraso de quase um ano e, por fim, com concursos promocionais inexistentes.

Atitudes como essa apenas endossam ainda mais o que incansavelmente é dito aqui: que os pobres coitados estão desesperados e não possuem argumentação alguma. 

Ah sim, quase ia me esquecendo: hoje é o famigerado 21/12/2012, data em que, segundo o calendário Maia, o mundo chegará ao fim.

Pois é, para aqueles cujas cagadas aqui são denunciadas, seria melhor se o mundo acabasse mesmo...

Entre em contato: litfanbr@gmail.com


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pode chorar...