Literatura Fantástica Brasileira

Literatura Fantástica Brasileira

Liberou geral!



Por Equipe Literatura Fantástica Brasileira.


Pois é caros leitores do blog, após dois meses de termos alterado a visualização da nossa página para “apenas convidados” decidimos torna-lo público novamente.

E a que se deveu essa mudança?
Muitos leitores não entendiam que o fato de terem sido convidados a acompanhar nossas publicações não indicava que esse fato era aberto ao público e, por isso, não aceitavam nosso convite.
Como o objetivo da nossa página é levar ao maior número possível de pessoas a verdade sobre o que se passa nos bastidores da literatura brasileira concordamos que deveríamos torna-lo público mais uma vez.
E assim será: novamente nosso blog poderá ser visualizado por todos aqueles que se desejam tomar ciência sobre notícias que não são divulgadas nos círculos literários.
Agora, estimado leitor, você poderá se indignar, rir, chorar, espernear, xingar, denunciar e compartilhar tudo o que publicarmos.
Permanecemos com nosso intuito de desmascarar a picaretagem existente dentro da literatura fantástica brasileira, queira a escória ou não.

Entre em contato: litfanbr@gmail.com

3 comentários:

  1. Se é um blog que faz denúncias, então tem que ser público! Como vamos saber as maracutaias editoriais? Como vamos saber de qual editora/editor devemos ficar longe? Como vamos conhecer os picaretas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Havíamos decidido por manter o blog com visitação privada para evitar que pessoas de má índole fizessem uso das informações aqui contidas para prejudicar pessoas que nada tem a ver com o blog.
      Mas agora, com a liberação das visitações, todas as postagens publicadas enquanto o blog obedecia o regime privado já estão disponíveis a quem se interessar.
      Esperamos que aproveite.

      Excluir
  2. Acho que sempre devemos torna público o que está errado. Senão, como seremos capazes de nos unir e fazer mudanças? Temos de nos unir, apontar nossos erros, conversar francamente uns com os outros e fazer a diferença.

    ResponderExcluir

Pode chorar...