Literatura Fantástica Brasileira

Literatura Fantástica Brasileira

Literatura Fantástica Brasileira: democracia russa.




Por Astrid Underground.

Diante dos acontecimentos envolvendo a banda russa "Pussy Riot" percebi como a situação delas se assemelha ao que ocorre dentro da literatura fantástica aqui no Brasil.

Assim como no país governado (e comandado) por Vladimir Putin, o Brasil também segue o regime democrático. Ainda assim alguns seguimentos se comportam de maneira semelhante ao ilustre senhor Putin.

A literatura fantástica é uma delas.

Prega-se, como na "Mãe Rússia", a liberdade de expressão (base na qual se apoia o regime democrático) desde que a opinião das pessoas não seja contrária a de quem está no poder.

Tem um pessoal dentro da literatura fantástica que se comporta da mesma forma: todos podem dar sua opinião desde que ela não seja contrária aos "dogmas" estipulados pela meia dúzia que se considera detentora da moral dentro do meio.

A diferença é que Vladimir Putin, o presidente russo, está no poder, e a gentalha da litfan, não.

O que seria daqueles que discordam das práticas medíocres adotadas por essa gente se, assim como o russo, estivessem no poder?

Provavelmente seríamos presos e condenados.

Como essa gente não governa nada e nem ninguém, que poder possuem eles para perseguir, prender ou censurar alguém? Nenhum, além de tentar ignorar o que publicamos e espernear nos eventos "wannabe-writers" que promovem.

Mas isso acontece apenas com a patotinha que frequentemente se vê envolvida em nossas denúncias. Ela insiste em dizer que publicamos inverdades, que as matérias não passam de perseguição a nível pessoal, que não somos nada além de trolls que se dedicam a tumultuar o meio literário e toda a lenga-lenga que já conhecemos e que não justifica nenhuma de suas atitudes.

Grande parte do lixo literário que se comporta dessa forma se concentra no Estado de São Paulo, mas há algumas ramificações em outras regiões como Minas Gerais e Rio de Janeiro. Para nossa alegria (aquela musiquinha me veio agora a mente, credo!) eles são uma minoria dentro da literatura, e percebe-se que sua influência e credibilidade estão diminuindo sensivelmente.

As pessoas já não mais aceitam suas opiniões ou caem em suas arapucas de maneira tão fácil. Analisam e pesquisam acerca do que eles declaram ser, por exemplo, "uma obra inigualável". Ou seja, elas estão pensando e vendo a realidade dos fatos.

Não direi que isso se deva exclusivamente ao nosso blog ou a vários outros que se dedicam a desmascarar a charlatanice pregada por eles, mas a verdade é que as coisas parecem estar mudando.

Graças aos deuses o mundo da litfan não se resume somente a esses escritores, como publicamos na matéria "Honestida vale a pena, ainda", havendo muitos escritores fora da panela que conseguem sucesso sem se envolver com suas maracutaias.

E basta analisarmos os casos que denunciamos como o do senhor Arthur Menko (Editora Baraúna), da senhora Sóira Celestino (Asgard - a Saga dos Nove Reinos), do senhor João Antônio Carvalho (LP Books) ou da senhora Ana Brasil (Editora Canápe) para constatarmos como realmente nós do blog somos falaciosos e levianos, loucos invejosos, fracassados e desocupados que ficam inventando histórias.

Fatos lamentáveis sempre existiram, o detalhe é que até a criação do blog ninguém se atrevia a denunciá-los e as pessoas acreditavam piamente que o universo literário era um mar de rosas.

Pois é meninos e meninas, a festa acabou.


"Deus, livrai-nos de Vladimir Putin" - disseram as meninas do Pussy Riot.

"Deuses, livrai-nos da escória literária" - dizemos nós.

Para o bem da literatura, eles não são "Vladimire´s Putin" e mesmo que fossem, continuaríamos achincalhando-os da mesma forma.


Entre em contato: litfanbr@gmail.com



8 comentários:

  1. Boa noite, sinceramente, infelizmente (digo isso por que é triste) por experiência própria, existe uma cúpula do mal na literatura fantástica, tipo uma legião do mal como na liga da justiça

    ResponderExcluir
  2. Vivemos numa democracia, creio que todos temos direito de nos expressarmos, com responsabilidade. Afinal, todo alegado, deve ser acompanhado de provas, sob pena de responder sobre seus atos. Reflita...

    ResponderExcluir
  3. Nobre senhor... o sr. usufruiu de termos que ultrapassam o seu direito de expressão... no qual requer provas, sob as penas da lei, vejamos: "charlatanice", "maracutaias" e "escória", citando nomes específicos... o sr. achar obras literárias "medíocres" e "lixo literário" é um direito seu... tanto como consumidor, quanto como crítico literário (se é que tens formação para isso)... cuidado, com os limites morais e legais, impostos numa sociedade civilizada... Atos, podem responderem com retratações... ou punições legais maiores... A norma legal brasileira, existe para aplicar, àqueles que ultrapassam os limites das críticas restritamente profissional

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Astrid Underground23 de agosto de 2012 17:02

      Percebe-se a acefalia do senhor "anônimo" no simples fato de ele ser incapaz de diferenciar gêneros sexuais.
      Me processe, eu tenho 5 (CINCO) advoGATOS, rsssssss.
      Vai procurar sua turma.

      Excluir
    2. Chutenacara.com.br23 de agosto de 2012 17:07

      Manda tomar logo no rabo, Astrid. Aposto que se fossem elogios ninguém aparecia aqui pra encher o saco.
      Por acaso alguém aqui tem medo de ameaças desse tipo de gente? Eu não tenho.

      Excluir
    3. Astrid Underground23 de agosto de 2012 17:08

      Colega, eu ainda tento manter a compostura, por menos que essa gentinha mereça.
      Pelo jeito o calo tá doendo, se finalmente resolveram se manifestar...

      Excluir
  4. Chutenacara.com.br23 de agosto de 2012 16:53

    Nobres "senhores" ou "senhotas" anônimos, por favor, ganhem maior credibilidade em vossas afirmações fazendo o favor de identificarem-se.
    Caso contrário tomem em seus devidos cus.

    ResponderExcluir

Pode chorar...