Literatura Fantástica Brasileira

Literatura Fantástica Brasileira

Coleguismo, competência e covardia.


Por Oscar Mendes Filho.

"Esse pessoal do blog não passa de um bando de covardes que se utilizam do anonimato para atacar gratuitamente as pessoas".
É o argumento que impera entre os que se sentem injustiçados pelas matérias aqui veiculadas.

Mas será que as pessoas agem assim por mera covardia ou há um motivo para isso?

Recebi essa semana a seguinte mensagem de uma colega do Facebook:

"Oscar, concordo com tudo o que você diz nas suas matérias e com seu posicionamento em relação à pilantragem do meio editorial, mas sou obrigada a sair da sua lista de amigos porque sinto que estão me boicotando por eu ter você na minha lista. Continuaremos nos falando, tudo bem?"

Percebe o motivo pelo qual muitos preferem o anonimato?

Devo confessar que fiquei indignado com essa situação.
Não pela minha colega ser obrigada a me excluir da sua lista, até porque manteremos contato por outros meios, mas devido ao motivo que a fez ser obrigada a isso.

A banda podre da literatura fica boicotando as pessoas simplesmente por serem minhas amigas? A falta de profissionalismo dessa gente chegou a esse nível?
Afinal de contas quais são os critérios utilizados por eles para avaliar trabalhos? A qualidade literária apresentada ou o círculo de amizades que o autor possui?

O nível de mesquinharia presente no meio literário está atingindo patamares que eu sequer poderia imaginar.

Percebe, leitor, como funciona esse universo literário?
Não importa a qualidade do que você escreve, mas sim os contatos que você possui.
Se você for um escritor medíocre terá seus trabalhos enaltecidos e divulgados, basta ter os amigos certos dentro do meio e não discordar dos pontos de vista deles.
E você pode ser um ótimo profissional, mas se mantiver uma postura contrária à dos picaretas literários, será ignorado.

Mas, que fique claro, essa prática ocorre somente nessas editorazinhas fundo de quintal.
Se você quiser publicar seu trabalho através de uma editora séria terá que apresentar um trabalho de qualidade ou nada feito.
Não preciso citar quais são as que se enquadram no patamar das "funo de quintal", basta ler as matérias que aqui já foram publicadas e facilmente se reconhece quais são.

Lamento muito se essa minha colega em algum momento foi prejudicada pelo simples fato de me ter em sua lista da referida rede social, mas por outro lado foi bom isso ter acontecido porque é bem provável que se meteria em uma bela enrascada ao trabalhar com gente desse nível.
Espero que ela recorra à outra editora, ou organizador não sei, que tenha mais ética profissional e, consequentemente, trabalhe de forma decente.

Entretanto, como já mencionei em uma matéria que escrevi há algum tempo, algo semelhante já ocorreu comigo.
Tentarei resumir para não me tornar repetitivo:
Escrevia matérias para certa página e sempre tive meus textos elogiados pelo "editor", inclusive em diversos momentos ele próprio me disse que minhas matérias eram as mais visitadas, porém, bastou ele se sentir ofendido com uma matéria aqui publicada para excluir minha coluna.
E mais, assim que isso aconteceu soube de diversos comentários em que ele metia o pau nos meus trabalhos.
Talvez minhas matérias fossem mesmo ruins, mas o ponto não é esse, o que está em questão é o esquema de "dois pesos e duas medidas" utilizado.
Se você for amigo dessa gentalha tudo que escrever será valorizado, caso contrário, seu trabalho é desprezível.

Parece que é o mesmo caso dessa minha colega. O trabalho dela pode ser ótimo, mas por ser minha amiga e teoricamente concordar com meu ponto de vista (como se amigos concordassem em tudo), seu trabalho é desqualificado.

Indaguei à ela sobre quem eram os envolvidos nesse bizarro episódio, porém ela não quis responder. Mas pesquisarei a respeito e assim que souber quem são essas pessoas publicarei os nomes aqui no blog.

Ao contrário do que os imbecis que esculacham o blog dizem eu assino minhas matérias, assumo e divulgo meus pontos de vista. Não fico me escondendo por trás de sorrisos falsos e amizades hipócritas como a panelinha costuma fazer.
E não concordo, necessariamente, com tudo que é publicado aqui, da mesma forma que minha colega provavelmente não concorde com tudo o que digo.

A verdade é que fazem isso na ânsia de tentarem calar a boca dos que estão denunciando suas falcatruas. O "blogzinho mequetrefe" possui sim credibilidade, está enfiando-lhes o dedo na ferida e os sinais disso são visíveis.

E é em virtude de episódios como esse que me levou a escrever esse texto que eu não recrimino quem publica sob pseudônimos. Sei muito bem que eles passariam pela mesma coisa, senão pior, que essa colega minha vem passando caso se identificassem.

Mas me aguardem, essa história não termina por aqui e assim que eu descobrir quem são esses "profissionais" eu escancaro pra todo mundo saber.

Entre em contato: litfanbr@gmail.com

4 comentários:

  1. O mesmo pode ser dito para blogs literários, pouco importa a qualidade que o seu tem, se vc tem amigos mais "legais" a sua opiniao será melhor ouvida. Triste

    ResponderExcluir
  2. Já aconteceu de uma vez ter recebido uma mensagem particular de um desses desclassificados (e defensor de bandido), nos alertando contra vc, que vc era um perigo e que tinha ameaçado o amigo dele numa discussão no Face.
    Depois de um comentário sobre um compartilhamento que fiz, em que ele dizia que eu não tinha vergonha por achar que bandido bom é bandido morto, simplesmente eu deletei o infeliz.
    Sou autora independente e NÃO é de hoje. NÃO comecei a escrever em Facebook. Desde o final da década de 90 mantenho publicações de divulgação (quando não havia internet e dependíamos de xerox e correio). Faço isso até hoje, PQ AMO isso, divulgando os independentes (só que agora na forma de blog) SEM COBRAR NADA! Publico meus livros por meus próprios meios e cuido eu mesma das minhas divulgações. Apesar disso, o Alternativos & Independentes tem apenas um pouco mais de 100 seguidores e nenhum desses autores compartilham as postagens que faço divulgando o pessoal do mesmo barco que eles.
    Se acham que são os phodas, que são os reis, francamente: que se fodam!
    Como sei que nenhum deles é meu leitor e nem ajuda a "divulgar a cena underground" (como dizíamos na época de zinagem), então tanto fez, tanto faz, se continuarão ou não na minha lista.
    O povo tem que saber que o mundo é grande e não cabe no umbigo de ninguém :P

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Pat, a única forma de "defesa" dessa escória é tentar me isolar, fazendo com que o pessoal da literatura me exclua, visto que não existem argumentos plausíveis que justifiquem o que fazem com o meio.
      O triste é que existem pessoas incapazes de pensar com a própria cabeça que caem nas lorotas deles.
      O que esses idiotas sequer imaginam é que muitas matérias que literalmente cagam na cara deles são escritas por pessoas que sempre aparecem abraçadinhas com eles em fotografias em tudo que é canto.
      Deixe eles viverem no mundinho fantasioso deles, se são felizes assim.
      Nós continuaremos denunciando toda a picaretagem que praticam, esperneiem eles ou não.

      Excluir
  3. Nós somos mesmo perigosos.
    Se denunciar as merdas que eles fazem não for suficiente nós apelamos pra macumba.
    UHahahuauhahuauhauh.
    Esse pessoalzinho do lado negro da litfan é deprimente.

    ResponderExcluir

Pode chorar...