Literatura Fantástica Brasileira

Literatura Fantástica Brasileira

Textos mal revisados... e mal escritos.



Por Astrid Underground.

Não sei se já mencionei o fato de que, por diversas vezes, tive em mãos algumas dessas antologias que se proliferam pelo mundo da litfan e que abandonei alguns contos pela metade tão mal escritos eles eram.

Ainda tem gente dizendo que falamos sobre o que não sabemos e que usamos de motivos passionais para nos manifestar acerca da patotinha que emporcalha a literatura brasileira.
Decidi então registrar aqui os trechos de um desses contos que me horrorizaram e deixar que você, leitor, avalie se falamos realmente demais ou nos baseamos em fatos concretos, certo?

Não citarei a qual antologia esse conto pertence, muito menos o autor e o organizador do mesmo, pois ele servirá apenas como amostragem de como esses trabalhos são mal feitos, tanto por parte de quem escreve essas "pérolas" como por parte de quem revisa e seleciona os trabalhos.
Vamos lá:

"Mais tarde, ela acorda e ouvi uma voz vindo de fora chamando o seu nome e batendo insistentemente na porta."
Difícil conjugar um verbo de maneira decente?

"Ela ainda disse para a sobrinha que era melhor se apressarem e saírem logo da casa, pois Samantha poderia está correndo grande."
Novamente erro de conjugação e frase que termina sem pé nem cabeça.

"Desesperada, Samantha se revolta contra o espelho e o estraçalha com uma tesoura ponte aguda."
O autor quis dizer pontiaguda?

"viajara de férias no antingo Cadillac 335 preto"
Erro de digitação tão básico que até um macaco que saiba o mínimo de Word é capaz de corrigir.

Agora me diga se são ou não erros bizarros que qualquer revisor de meia pataca seria capaz de corrigir?

Escritores não possuem a obrigação de serem "expert´s" em língua portuguesa e todos estão sujeitos a erros, ainda que tão grotescos, mas um revisor deixar tais falhas passarem desapercebidas é inadmissível, ao menos quando se trata de uma equipe que preza pelo mínimo de qualidade.
Sim, hoje fui obrigada a ler esse conto (muito fraco por sinal) até o fim, meu Deus!

É leitor, esse é o tipo de material que é reverenciado pela galerinha da litfan que insiste em apresentar coisas como essa como sendo obras de primeira qualidade onde você jamais se arrependerá de gastar seu suado dinheirinho.

Mas me diga, eu falo mesmo demais?

Entre em contato: litfanbr@gmail.com


3 comentários:

  1. Não sei se fiquei mais pasma com o autor que escreveu ou com o revisor.
    Até entendo que o autor possa cometer alguns erros, principalmente os de digitação, em seu texto, mas o revisor deixar passar assim?
    Dependendo da editora e de como elas estão nessa febre de publicar antologias cada vez mais, não duvido que esses textos sequer tenham passado pela mão de um revisor.
    Entendo também que muitas vezes a primeira edição de um livro às vezes saí com erros. Sendo isso não uma exclusividade de editoras pequenas, mas das grandes e renomadas também, mas esses que você destacou além de horrorosos, são muitos para um conto só.

    É... infelizmente essa é a literatura fantástica de qualidade que as editoras atualmente tem nos oferecido. Me pergunto até quando continuará assim.

    ResponderExcluir
  2. O que seria de Jorge Amado se não tivesse excelentes revisores!? O autor é brindado pelo universo com o dom especial de escrever. Para isso, é necessário que a imaginação o leve à caçada e, sinceramente, se ele consegue executar as duas tarefas - escrever e conferir - será uma pessoa pra lá de abençoada.

    the Osmar.

    ResponderExcluir
  3. Tive o desprazer de esbarrar com excelentes livroscom sofrível revisão. É realmente lamentável, pois tira grande parte do prazer pela leitura. Tenho tentado insistentemente uma vaga como revisor de textos em várias editoras, mas sem sucesso. Desde já ofereço meus serviços de forma freelancer. Interessados podem entrar em contato comigo por e-mail: danielrobertoc@bol.com.br.

    ResponderExcluir

Pode chorar...