Literatura Fantástica Brasileira

Literatura Fantástica Brasileira

A mecânica da litfan.



Por Oscar Mendes Filho.

A mecânica da litfan brasileira foi finalmente revelada após a repercussão das últimas matérias publicadas aqui no blog, e não surpreendeu.
Desde que você seja amigo dos "deuses literários" tudo o que for de sua autoria possuirá ótima qualidade e merecerá aplausos, caso contrário, você não passa de um analfabeto que sequer sabe escrever o nome.
Como exemplo prático cito meu caso.

Enquanto eu mantinha amizade com o dono do "maior portal gore da América Latina" ele mantinha minha coluna "Prisioneiro do Medo" no ar e tecia cansativos elogios às matérias que eu produzia.
Não jogarei baixo, como ele mesmo tem feito, portanto me absterei de publicar trechos das nossas conversas, mas posso citar o que ele disse certa vez: "sua coluna é uma das mais visitadas do blog, não pare de enviar suas matérias".
Isso se deu quando comuniquei minha total falta de inspiração para escrever e deixei claro que talvez não mais produziria as matérias.
Pois bem, bastou ele vestir a carapuça acerca de algumas matérias publicadas aqui no blog e acusar-me de ser autor das mesmas para ele romper a amizade comigo, excluir minha coluna e dizer que eu sou um péssimo escritor.

Tudo bem, nunca me considerei um "expert" da literatura, como muitas deidades literárias se proclamam, mas surgiu então a questão: se eu escrevo tão mal como ele diz, por que me manteve como colunista da sua renomada página? Por que, então, ele sempre elogiou meus livros? Por que cedeu espaço em suas "revistas"?
Conclui-se então que o critério principal para ele identificar quem possui ou não a qualificação necessária para publicar em seus veículos de informação seja o fator amizade e não a real competência literária da pessoa em questão.
E, consequentemente, conclui-se que essa também seja a forma utilizada pelos "editores" e "organizadores de antologias" para selecionar quem participa ou não dos projetos de autoria deles.

Isso só comprova o que vem sendo publicado desde a criação do blog. Eles mesmos estão se enforcando com as próprias línguas e concedendo veracidade a tudo o que foi exposto.
A verdade sempre aparece, cedo ou tarde.

Não lamento pelo fato de ter sido retirado da lista de colunistas do blog, pelo contrário, já há bastante tempo deixei de me dedicar à literatura e quem me conhece sabe muito bem disso, de forma que para mim isso foi até um favor.

Falta de inspiração, desapontamento com o meio literário e responsabilidades que me obrigam a me dedicar a coisas mais palpáveis do que meros sonhos são alguns fatores que pesam bastante (como um escritor pode escrever algo decente sem inspiração ou paixão?)
Não, eu não sou nenhum coitadinho, ao contrário, sou bem escroto, apenas reví minhas prioridades, coisa que todo ser humano consciente faz vez ou outra.

O que me deixa tranquilo é o fato de que possuo a dignidade de assumir que não desejo mais escrever e retiro meu time de campo, ao invés de prosseguir produzindo obras desqualificadas e esbravejar por aí que continuo criando pérolas literárias.

A qualidade (ou ausência dela) acerca do que já produzi eu deixo para que os leitores e críticos especializados avaliem, não será a opinião de pessoas que têm como principal critério o "coleguismo" para qualificar obras literárias que dirá o que elas são ou deixam de ser.
Apenas perceba, leitor, como funciona esse meio literário.
Os acontecimentos falam por si.


...


Considerações finais:


Muita gente do meio literário rompeu amizade comigo por atribuir a mim a autoria de várias matérias do blog. 
Sou honesto o suficiente para afirmar que assinaria algumas delas sem pestanejar, embora a forma como os textos tenham sido elaborados tenha sido dura demais, mas também lamento pela pobreza de espírito de várias dessas pessoas por terem se deixado influenciar pela opinião de pessoas que foram diretamente atingidas pelas denúncias feitas.
Várias me excluíram, mas se pensassem um pouco, perceberiam que eu não teria motivo nenhum para escrever sobre elas da maneira como foi feito, enquanto em relação a outras eu possuo é vontade de falar cara a cara, e todos sabem quem são essas pessoas.
Mas, como já mencionei, não mais me incluo no meio literário (se definitivamente ou não só o futuro pode dizer) de forma que profissionalmente a ausência da amizade delas não me afetará de nenhuma maneira.
E que venham as próximas matérias.

Entre em contato: litfanbr@gmail.com


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pode chorar...