Literatura Fantástica Brasileira

Literatura Fantástica Brasileira

Atestado de incompetência.



Por Oscar Mendes Filho.

"Não basta assinar o atestado de incompetência, é necessário registrá-lo no cartório."

É a única conclusão a qual consigo chegar quando me deparo com algumas bizarrices dentro do meio literário.
Os motivos pelos quais um autor não consegue publicar um trabalho, principalmente dentro da LitFan, já foram amplamente abordados aqui no blog, mas sempre surgem novos fatos a serem desmascarados.
A recusa em participar de "obras pagas", em pendurar no saco dos "influentes", não adentrar a "panela", em se manter fiel aos seus princípios, etc, etc, etc, afasta os escritores de boa índole, ainda que talentosos, mantendo-os à margem do mundo literário.
Mas o tema da presente matéria se relaciona a uma nova prática utilizada por alguns envolvidos dentro desse meio para que lhes seja possível levar até o leitor todo o lixo que produzem.
Cansados de terem as portas das editoras batidas em seus focinhos e desprovidos de dinheiro para ingressarem nas famigeradas obras do estilo "pagou, publicou", a escória teve a brilhante idéia de criar uma editora própria para fazer isso.
Exatamente.
Como os contatos (obtidos através de bajulação) não mais lhes proporcionavam a publicação das porcarias que escrevem, foi criada uma editora para isso, onde todo aquele disposto a enfiar seu orgulho e sua decência no orifício anal e lamber o traseiro do proprietário da editora pode ter seu trabalho publicado.
Como não poderia ser diferente, a publicação de tais excrementos literários vem seguida de spam´s e mais spam´s que tentam convencer o leitor imprudente a adquirí-las, fazendo-os crêr que são obras de primeira categoria.
É mais ou menos como o jogador de futebol perna de pau diz: "Se nenhum time quer me contratar, eu crio o meu e nele eu posso jogar".
Isso é ou não assinar o atestado definitivo de incompetência?
Se o que essa gentalha produz realmente tem algum valor (como dizem ter) e eles são deuses literários (como se auto-proclamam) por que as editoras sérias (que são raras) não lhes cedem espaço?
O problema é que o leitor, como sempre acontece, acaba sendo convencido de que as obras publicadas por essa "editora" são boas, e as adquire.
O que importa para essa máfia é vender e não que o leitor adquira alguma coisa que valha a pena. 
É o capitalismo selvagem imperando.
Escritores renomados (salvo raríssimas excessões) não viviam da literatura, e possuíam seus trabalhos, enveredando pelas letras por medo prazer (ou necessidade pessoal, em alguns casos).
Por que essa escória não se dedica a fazer o mesmo? Por que essa ânsia em vender mais e mais, sem se preocupar com a qualidade do que oferecem ao leitor?
É muita falta de vergonha na cara.
Ora, se está faltando inspiração para escrever, tempo ou simplesmente competência, que não o façam, e deixem espaço para aqueles que realmente possuem talento para isso e se dedicam à literatura por mero prazer, e não visando somente o lado financeiro.
Impossível! O ego dos "mestres da literatura fantástica" se recusa a admitir tal coisa.
Falta mesmo é escrúpulo para esse bando de aproveitadores, que ainda possuem a cara de pau de publicar as festas de lançamento onde todos são apenas sorrisos e felicidade julgando-se estarem engrandecendo a literatura com o lixo que promovem.
Sim, felicidade apenas deles, que angariam fundos às custas do dinheiro do leitor que é enganado.
Já passou da hora dessa gente começar a respeitar os leitores, produzir algo que realmente compense à eles empregar seu dinheiro, porque se a situação prosseguir assim, a literatura fantástica brasileira está fadada a ir para o esgoto.

Entre em contato: litfanbr@gmail.com



2 comentários:

  1. Por Astrid Underground (o mito).

    Comprovando a veracidade do atestado, basta dar uma olhada nos comentários na seguinte postagem: http://www.estronho.com.br/causos-e-lendas-urbanas/83-sonho-ou-realidade/4849-pela-televisao.html
    O cidadão sequer possui a capacidade de revisar os textos que recebe antes de publicar na página dele.
    O que pode-se dizer então em relação aos livros que ele "publica"?
    Nossa, entreguei o nome do PICARETÃO, trágico, trágico.
    Quáquáquáquáquáquá!!!!

    ResponderExcluir
  2. o foda de não saber nomes é que eu não sei se vcs são do rio, de sp, ou do acre, ai fica dificil adivinhar de quem estão falando...

    ResponderExcluir

Pode chorar...