Literatura Fantástica Brasileira

Literatura Fantástica Brasileira

Cabresto Literário?



Por Oscar Mendes Filho.


Algo interessante vem acontecendo após a criação do blog.
Além, claro, de muita gente dentro da litfan espernear qualificando o blog como “tosco”, “tendencioso” e “mequetrefe”, alguns elementos deixaram de divulgar as postagens referentes ao meu blog Prisioneiro da Eternidade, por que será?
Existem duas hipóteses para isso:
1 – disparamos contra o rabo de um e o rabo de outro acabou sendo atingido.
2 – os “amiguinhos” estão se doendo um pelos outros.
O que eles se esquecem é de que o blog não é apenas meu, existe mais gente envolvida. Alguns expõem seus nomes, corajosamente, enquanto outros preferem manter-se no anonimato. O importante é que todos apenas expressamos nossa liberdade de pensamento e expomos a verdade por trás de tanta sujeira. Me agridem? Isso já era esperado, afinal, quando a água bate na bunda é que a gritaria começa.
Mas não admitimos que nos ponham nenhuma espécie de cabresto, principalmente o literário, temos um cérebro que funciona o suficiente para entender o quão medíocre é fazer parte dessa panela que engana os leitores e os novos escritores.
Tendenciosos? Sim, nosso objetivo é desmascarar quem escreve porcarias e tem seu trabalho divulgado como se fosse o melhor do mundo, enganando os remanescentes leitores que ainda habitam o Brasil.
Divulgar trabalhos de baixa qualidade atribuindo-lhes resenhas excelentes apenas enfraquece o meio literário. Quando um leitor adquire um livro ruim, não mais o fará em uma próxima ocasião, destinando seus rendimentos a obras melhor endossadas, como as estrangeiras, pela mídia de maior força. Agimos mal querendo moralizar a litfan?
Outro objetivo nosso é o de alertar os escritores que adentram o meio a tomarem cuidado com editores picaretas e antologias mal organizadas que prometem mundos e fundos e nada fazem em prol da obra publicada, apenas tomando o dinheiro deles. Será que isso é ruim?
Assim como nós, muitas pessoas acham que não, pelo contrário, elogiam nossa iniciativa, e quem apenas critica o blog é porque constata que suas artimanhas foram descobertas e aqui estão sendo reveladas.
Quanto a não divulgarem meu blog, paciência, mas eu nunca dependi de ninguém dentro do meio para que meus livros fossem lidos. Iniciei meu blog e lanço meus livros de forma independente, não necessitando de prêmios de veracidade duvidosa ou resenhas elogiosas para elevar sua qualidade. Se são ruins ou não, já é outra história, eu apenas escrevo, e como todo escritor, estou sujeito a erros, mas nem por isso engano os leitores, deixo-os tomarem suas próprias decisões.
Não obrigo ninguém a concordar com o que faço, ou partilhar das minhas idéias. Assim como eu, os demais membros publicam o que constatam em sua vivência dentro da litfan, isso ofende? Sim, ofende quem tem o rabo preso e tem a consciência pesada.
Desculpe, mas nós temos opinião própria, damos a cara a tapa e agüentamos o tranco. Empeitamos quem age de forma mesquinha dentro do meio, porque temos coragem para isso, não temos o rabo preso com ninguém. Você não tem capacidade de agir assim? Só posso lamentar.
O que acho mais engraçado é que muita gente que mete o pau na gente em blog´s ou páginas de relacionamento declara aos membros “anônimos” do blog que partilha das nossas idéias. São incapazes de dizer abertamente que apóiam nosso trabalho, provavelmente com medo de serem excluídos da panelinha literária. Se isso acontecer, provavelmente será a ruína deles. É engraçado, pois se abrem com pessoas que elas sequer imaginam fazer parte da equipe.
Só tenho que parabenizar meus companheiros Geyme Lechner, Lord A, Chutenacara.com.br e Lady Underground por partilharem comigo as postagens no Literatura Fantástica Nacional, demonstrando coragem de expôr seus pensamentos e enfiando goela abaixo de certas pessoas toda a podridão que assola o meio. E, só como alerta, a equipe está aumentando, então ainda há bastante coisa a ser dita, e muito mais gente a se revoltar.
Além das denúncias, talvez alteremos um pouco o teor das postagens, pois acreditamos que o assunto já esteja se tornando cansativo, e passemos a divulgar trabalhos que realmente devam assim ser, e não enganaremos os leitores com a falsa promessa de boa leitura quando o trabalho é desprezível.
A quem nos apóia, obrigado, e a quem só faz nos criticar, parabéns, continue utilizando seu cabresto e seja feliz.
“Prego que se destaca é aquele que recebe a martelada.”

Entre em contato: litfanbr@gmail.com


2 comentários:

  1. Não apenas na litfan, como comentei em outro post. Essa podridão assola o meio editorial como um todo. Muitas obras ruins - nacionais e estrangeiras, independentes do gênero - elogiadas e festejadas por um monte de blogs que vendem a alma em troca de uma parceria. Ou não nasceram dotados de senso crítico.

    Tem mais é que por o dedo na ferida, mesmo, e fazer o povo pensar. Não é possível que sejamos tão cegos!

    ResponderExcluir
  2. Obrigado pela visita Lilian.
    Pensamos exatamente da forma como mencionou, o problema dessa gente é que não lhes é interessante ver esse tipo de coisa, até mesmo porque estão envolvidas diretamente com essa sujeira.
    Colocamos, sim, o dedo na ferida, pois não devemos nada a ninguém.

    ResponderExcluir

Pode chorar...