Literatura Fantástica Brasileira

Literatura Fantástica Brasileira

Antologias se proliferando como Gremmlins.



Por Chutenacara.com.br.


Fico pasmo como nos últimos tempos houve um “boom” de antologias sendo organizadas dentro da litfan nacional.
São obras que prometem levar ao leitor contos dos mais variados gêneros, baseados nos mais diversos temas, poesias sombrias e toda a sorte de assuntos relacionados à literatura fantástica.
Todo organizador sério conhece bem o trabalho que dá organizar algo assim. Convidar autores, selecionar material, revisar os textos, ir atrás da arte da obra (capa e ilustrações internas, quando as possui), conseguir um contrato decente com uma editora séria e por aí vai.
Então como é possível uma única pessoa conseguir organizar diversos trabalhos ao mesmo tempo primando pela qualidade? Principalmente uma pessoa que não possuo experiência na área?
É roubada.
Os autores que buscam um espaço para suas obras precisam entender que muitas vezes o fato do seu trabalho ter sido publicado não significa que ele será visto com bons olhos tanto dentro do meio literário como pelo público.
Às vezes é preferível ter sua obra publicada em um blog do que dentro de um livro cuja credibilidade do organizador é duvidosa.
Organizar uma antologia não é chamar um monte de gente para escrever alguma coisa, juntar tudo o que foi escrito, encontrar alguma editora que se disponha a publicá-lo e fazer festinhas meia-boca de lançamento. Isso qualquer um é capaz de fazer.
Organizar uma antologia é convidar escritores que possam contribuir de forma positiva para o trabalho, com textos bem escritos e interessantes. Organizar é ler todo o material e revisá-lo, não delegando isso a outras pessoas. Organizar é primar para que a obra que levará seu nome possua qualidade e seja reconhecida por todos.
Mas parece que tem muitos autores, inclusive alguns bem experientes, que entram nessa empreitada não se dão conta disso.
Para eles o importante é estar na vitrine, fazer spam´s sobre o lançamento da obra por e-mail e em redes sociais e inflar seu ego dizendo que participou (ou organizou) sei lá quantas obras durante o ano.
Qualidade, meus caros, prezem por ela.
Se for para se fiar na quantidade, escreva jornal e distribua na esquina, é mais digno e não enganará o leitor.

Entre em contato: litfanbr@gmail.com


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pode chorar...